Blog do PVC

Em reunião com Cruzeiro, Conmebol lamenta apenas
Comentários Comente

PVC

O presidente do Cruzeiro, Wágner Pires de Sá, e o supervisor, Benecy Queiroz, chegaram ao prédio da Conmebol, em Luque, no Paraguai, às 10h. Desde então, reuniram-se com o presidente Alejandro Dominguez, com membros da comissão de arbitragem. e com o diretor de competições, o brasileiro Frederico Nantes. Em todos os casos, os dirigentes da Confederação Sul-Americana lamentaram. ''Eles não podem admitir o erro, mas lamentaram'', disse o supervisor Benecy Queiroz. ''Continuamos em reunião aqui'', disse, às 15h45.

A Confederação Sul-Americana indicou que o Cruzeiro faça um recurso para pedir a anulação do cartão vermelho de Dedé. Não há nenhuma garantia de que isso aconteça. Mas a tentativa do time brasileiro é contar com o zagueiro no jogo de volta contra o Boca Juniors, na primeria semana de outubro, em Belo Horizonte.

''Nosso departamento jurídico está preparando o recurso'', disse Benecy Queiroz.

O presidente da comissão de arbitragem da Confederação Sul-Americana, o também brasileiro Wilson Luiz Seneme, está em Santiago, preparando a equipe de árbitros para a partida Colo-Colo x Palmeiras.


Silencio constrangedor
Comentários Comente

PVC

O presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, e o supervisor, Benecy Queiroz, estão em Assunção em busca de explicações para a absurda expulsão de Dedé e para tentarem anular o cartão vermelho. Acreditam na hipótese remota de Dedé enfrentar o Boca Juniors no jogo de volta das quartas-de-final.

Improvável.

Durante toda a manhã, este colunista tentou contato com a Confederação Sul-Americana e com o presidente da Comissão de Arbitragem, o brasileiro Wilson Seneme.

Em vão.

É provável que as reuniões se sucedam e ninguém tenha tempo de dar esclarecimentos exclusivamente a um jornalista. Mas a todos os amantes do futebol, as explicações deveriam ser obrigação. A Conmebol não se manifesta nem sequer para dizer que o árbitro Eber Aquino será afastado.

No passado, o Brasil recusou-se a disputar a Libertadores três vezes. Nenhuma por protestos contra a forma de agir da Confederação. Em 1966, a ausência deveu-se à não concordância com a mudança do regulamento que incluiria os vice-campeões a partir daquela temporada. Em 1969, o problema foi o prolongamento da Taça Brasil de 1968, que indicava os representantes brasileiros. A Libertadores de 1969 terminou em maio e o campeão da Taça Brasil do ano anterior só foi conhecido em outubro, cinco meses depois do término da competição continental. Em 1970, o Brasil recusou-se a disputar a Libertadores, por julgar que atrapalharia a preparação da seleção brasileira para a Copa do Mundo.

As ausências do Brasil nunca foram por reclamações sobre arbitragens ou violência.

O silêncio da Conmebol, de Wilson Seneme e a falta de uma manifestação coletiva do Brasil são constrangedores.


O árbitro de vídeo também erra
Comentários 40

PVC

O mais incrível da expulsão de Dedé e da reação à injustiça do cartão vermelho foi ter acontecido num duelo entre um clube brasileiro e outro argentino, um dia depois de o Brasil inteiro julgar absurda a reação de Gervasio Nuñez, ao ser excluído na partida Tucumán x Grêmio. Quer dizer que a indignação de Nuñez, ao contestar a decisão revista na televisão, não era tão inacreditável assim. O árbitro de vídeo também erra. Na Itália, o presidente do Torino, Urbano Cairo, disse no final de semana que, se é para ter VAR da maneira como está havendo, melhor nem ter.

Não é assim. Melhor ter. Mas o vídeo não deveria ser usado para revisar interpretações. Carlos Eugênio Símon costuma dizer que, em câmera lenta, até beijo de avó parece agressão. Como no caso do choque entre Dedé e o goleiro argentino Andrada.

À parte a discussão sobre o cartão vermelho injusto para Dedé, o Cruzeiro foi vítima de um Boca Juniors mais forte no segundo semestre em comparação com o que mostrava na primeira metade do ano. Pablo Pérez errou nove passes, recorde na equipe argentina, mas controlou o meio-de-campo, com 44 passes certos, uma assistência para Zárate fazer 1 x 0 e uma finalização certa, a do segundo gol do Boca Juniors.

Mano Menezes deixa a Bombonera com derrota, como aconteceu onze anos atrás, pelo Grêmio. Só que, daquela vez, o Boca Juniors era mais forte do que é atualmente. E na final de 2007, Riquelme conduziu à vitória por 3 x 0. Desta vez, Pablo Pérez liderou um 2 x 0. Não vai ser simples a volta, mas o Cruzeiro tem mais chance de alegrar Mano Menezes desta vez do que o Grêmio tinha onze anos atrás.

Tags : cruzeiro


Presidente do Conselho pede que Peres e Rollo pensem no Santos
Comentários 8

PVC

A crise do Santos virou, na prática, uma nova eleição. Dia 29, os sócios do clube decidirão pelo impedimento ou não do presidente José Carlos Peres, em função das acusações de centralizar o poder, em vez de ouvir o Conselho Gestor, e de ser sócio de empresas que agenciaram jogadores de futebol. O que era um processo de impeachment virou, na prática, a escolha entre dois candidatos à presidência: José Carlos Peres x Orlando Rollo. Se Peres for impedido, o vice-presidente assumirá o cargo

Como poder moderador, ainda paira sobre a crise o ex-presidente Marcelo Teixeira. chefe do governo na Vila Belmiro entre 1991 e 1993 e de 2000 a 2009. Na sua opinião, há pouco a se fazer, porque o estatuto não permite a retirada de toda a chapa impedida. Nesta conversa, ele faz o diagnóstico da situação e pede aos dois postulantes à presidência que pensem mais no clube do que neles mesmos:

PVC – O que se tira desta crise política do Santos?
MARCELO TEIXEIRA –
A situação é gravíssima. Principalmente porque não se enxerga ninguém preocupado com o clube. Criou-se um ambiente terrível, em que funcionários não sabem a quem obedecer, na disputa entre os dois. Um lado acusa o presidente de fazer tudo sozinho. De outro, há quem pense que o Peres se viu forçado a fazer assim, pela pressão que recebeu.

PVC – O Conselho Deliberativo tem algo a fazer para diminuir o problema?
MARCELO TEIXEIRA – Infelizmente, não. Porque o estatuto diz que em caso de impedimento, o vice-presidente assume o posto. O que podemos fazer é pedir para que todos pensem no Santos. Hoje, parece que ninguém está preocupado com o clube. É uma situação sem precedentes.

PVC – Seu pai, Milton Teixeira, assumiu a vice-presidência depois da renúncia de um presidente, Rubens Quintas. Nem ali foi tão grave?
MARCELO TEIXEIRA – Não foi tão grave, porque o Quintas renunciou em função de não conseguir lidar com a crise financeira e porque o time não se classificou para a Taça de Ouro. Era um problema mais esportivo do que político, como é agora.

PVC – E quando caiu o presidente Miguel Kodja Neto, em 1994?
MARCELO TEIXEIRA – Também foi diferente, porque se optou por uma empresa que ajudaria o Santos. Deveria ter olhado e analisado melhor a empresa, mas a crise se deu, porque a empresa não se mostrou preparada. Agora, o Santos virou alvo apenas de manchetes negativas, por causa dessa disputa.

PVC – Virou uma nova eleição?
MARCELO TEIXEIRA – Na prática, sim. Conheço o Orlando há muito tempo. Ele foi meu aluno. Sempre teve esse estilo. Os sócios vão decidir o que vai acontecer, com responsabilidade. Sei que se a chapa fosse diferente, talvez o Peres tivesse ainda mais problemas. É incrível como ele perdeu o apoio rapidamente, mas muita gente não quer o Orlando Rollo, também. Peço só que todos pensem no Santos Futebol Clube.

Tags : santos f.c.


Apostas de Renato Gaúcho garantem vitória em Tucumán
Comentários 13

PVC

Renato Gaúcho queria um trio de meio-de-campo, capaz de fortalecer a troca de passes e auxiliar os zagueiros Geromel e Kannemann na missão de impedir que Leandro Díaz fizesse o pivô, no ataque do Tucumán. A estratégia também era usar a velocidade pelos dois lados do campo. ''Eles marcam muito o lado da bola'', disse Renato, nas primeiras horas da tarde, sobre a necessidade de inverter o lado da jogada. Sempre que fez isso, o Grêmio se deu bem, na vitória por 2 x 0, no norte da Argentina.

O Grêmio foi beneficiado pela lesão de Noir, no início da partida, e pela expulsão de Gervasio Nuñez. Quando o Tucumán ficou com dez jogadores, aos 45 minutos da primeira etapa, o placar já marcava 1 x 0 para os gremistas, gol de Alisson, aposta de Renato para ter rapidez pela direita.

Lançamento longo de Geromel, escorado por Cícero na meia-lua, finalização de Alisson frente a frente com o goleiro Lucchetti, do Tucumán. O Grêmio havia iniciado a partida mal, atraía demais o rival argentino, mas melhorou a partir dos 20 minutos, com troca de passes precisos. Mereceu o primeiro gol.

A jogada do segundo tento gremista, marcado por Éverton, confirmou a profecia de Renato. Quando os argentinos marcavam o lado da bola, esqueciam o setor inverso. Bola de Alisson cruzada para Éverton definir na ponta esquerda: 2 x 0. O resultado dá quase garantia de que o Grêmio disputará a semifinal contra o Independiente ou o River Plate. Em onze visitas à Argentina pela Libertadores, esta foi a quarta vitória do Imortal.

QUARTAS-DE-FINAL
JOGOS DE IDA
Terça-feira, 18/setembro/2018
TUCUMÁN 0 x 2 GRÊMIO – 21h45

Local: José Fierro (San Miguel de Tucumán); Juiz: Wilmar Roldán (Colômbia); Gols: Alisson 34 do 1º; Éverton 9 do 2o; Cartão amarelo: Bianchi (3º), Kannemann, Leandro Díaz, Maicon; Expulsão: Gervasio Nuñez 45 do 1o
TUCUMÁN: 1. Lucchetti (5), 20. San Román (4), 2. Bianchi (5,5), 15. Cabral (4,5) e 3. Abero (4); 8. Acosta (6), 5. Mercier (5,5), 29. Aliendro (5) (18. Mauro Matos 27 do 2º (sem nota))) e 22. Noir (sem nota) (10. Gervasio Nuñez 7 do 1º (1)); 7. Luis Rodriguez (6) e 27. Leandro Díaz (5,5) (19. Barbona 40 do 2º (sem nota)). Técnico: Ricardo Zielinski
GRÊMIO: 1. Marcelo Grohe (6,5), 6. Leonardo (6,5), 3. Geromel (6), 4. Kannemann (7) e 12. Cortez (6); 17. Ramiro (6,5), 8. Maicon (6,5) (16. Thaciano 24 do 2º (5,5)) e 10. Cícero (6,5); 23. Alisson (8) (15. Pepê 31 do 2º (sem nota)), 7. Luan (5,5) (10. Douglas 35 do 2º (sem nota)) e 11. Éverton (7). Técnico: Renato Gaúcho

Tags : gremio


Libertadores x Champions League
Comentários 9

PVC

A Champions League, em sua fase de grupos, começa hoje com oito partidas, dos grupos A, B, C e D, divididos em dois horários distintos. Os grupos A, C e D estão marcados para 16h, mas a chave B, do Barcelona, começa às 13h55. De certo modo, a Champions League copia o que sempre houve na Libertadores. Partidas em horários diferentes para dividir as transmissões de TV e permitir a mais gente assistir a todos os jogos.

A Champions copia a Libertadores no que é supérfluo, mas a Libertadores não chega nem perto do torneio europeu no essencial. São 46 mil torcedores em média, na Champions League, contra 26 mil na Libertadores. Foram 3,21 gols por partida na edição passada da Copa dos Campeões da Europa, contra 2,23 da atual Libertadores.

Isso não exclui que Messi afirme que não gosta de ver futebol, mas assiste sempre aos jogos da Libertadores. Hoje poderá assistir ao vice-líder da Superliga Argentina, o Atlético Tucumán, contra o quinto colocado do Brasileirão, o Grêmio. abertura das quartas-de-final do torneio sul-americano.

No primeiro dia da Champions League, os jogos serão Brugge x Borussia Dortmund, Monaco x Atlético de Madrid, Barcelona x PSV, Internazionale x Tottenham, Estrela Vermelha x Napoli, Liverpool x Paris Saint-Germain, Galatasaray x Lokomotiv, Schalke x Porto.

Destaque em Liverpool. A primeira página do jornal francês L'Equipe tem uma ilustração com Cavani, Mbappé, Neymar e o técnico alemão Thomas Tuchel atravessando a faixa de pedestre como na capa do álbum Abbey Road, dos Beatles. Evidentemente, porque os parisienses visitarão a cidade do quarteto britânico. O Liverpool compartilha a liderança da Premier League com o Chelsea.


Tendência no Flamengo é Barbieri continuar
Comentários 17

PVC

A insatisfação de grupos de conselheiros não deve ser argumento decisivo para a saída de Maurício Barbieri. A direção do Flamengo se reunirá hoje, como faz todas as semanas. O presidente Eduardo Bandeira não está no Rio de Janeiro. Mas a visão da diretoria é de só mudar a comissão técnica se houver evidência de que a relação entre treinador e jogadores está deteriorada.

O ambiente politico e o receio de que os resultados interfiram no resultado da eleição de dezembro podem ser levados em conta por uma parte da direção, mas é improvável um diagnóstico que leve à troca de comando.

O Flamengo disputou 18 partidas nos 58 dias seguintes à Copa do Mundo. Uma a cada três dias. Nesta semana, por causa da eliminação da Libertadores, haverá apenas treinos antes de enfrentar o Atlético-MG, domingo.


Santos completa oito jogos sem sofrer gols. É importante?
Comentários 5

PVC

Oito jogos seguidos sem sofrer gols, nove partidas consecutivas de invencibilidade, subida da 17a colocação para o oitavo lugar, desde que Cuca assumiu. É lógico que a torcida do Santos tem razão para ter alívio. É diferente de comemorar.

O Santos está há oito partidas sem sofrer gols e, neste período, passou quatro sem marcar.

O empate por 0 x 0 com o São Paulo foi o último deles, jogo sem graça na Vila Belmiro, com uma única grande chance de gol, de Rodrygo, que desperdiçou frente a frente com Sidão.

O São Paulo não jogou no sistema com três zagueiros. Arboleda foi escalado como lateral direito ou, se preferir, como marcador de Rodrygo.

O São Paulo finalizou só duas vezes no alvo, sem perigo. O Santos, três. O empate por 0 x 0 leva o Tricolor à liderança, mas à espera do resultado de Chapecoense x Internacional, na segunda-feira à noite. Nunca na história do Brasileirão o Internacional venceu em Chapecó e nem sequer empatou.

Ah… Por falar em seqüências sem sofrer gols, vale lembrar as de times que sempre marcam. Faz tempo. Flamengo e São Paulo passaram doze rodadas seguidas fazendo gols. Neste momento do Brasileirão, ninguém tem séries nem perto disso.


Zagueiro pressionado por torcida faz contra e empata clássico carioca
Comentários 8

PVC

Raul foi o grande destaque do Vasco, mudado depois de uma semana de treinos. Alberto Valentim manteve o sistema tático 4-1-4-1, sustentou Andrés Rios pelo lado direito, mas surpreendeu ao escalar Fabrício na ponta esquerda. O resultado foi um time forte defensivamente, com as duas linhas distantes aproximadamente doze metros, mas com espaços nos corredores que permitiam a Diego e Paquetá se infiltrarem e não obrigavam o Flamengo a exagerar em seu velho vício: os cruzamentos.

Quando recuperava a bola, o Vasco subia rapidamente, com Raul pela meia direita. Foi o grande destaque do primeiro tempo e autor do passe para Maxi López dividir com Diego Alves, antes de a bola sobrar para Andrés Rios. Lance discutido, mas que pareceu corretamente validado.

O Flamengo melhorou depois de sofrer o gol e teve chance com Paquetá. Mas ainda não é sombra da equipe que liderou o Brasileirão antes da Copa do Mundo. Lento na troca de passes e com dificuldade de fazer as infiltrações pela faixa central, sempre escapava para o lado do campo e ficava exposto aos contra-ataques vascaínos.

O Flamengo evoluiu no segundo tempo e criou num belo chute de Paquetá, aos 10 minutos, depois de cruzamento de Diego. Também num chute longo de Vitinho, com Martin Silva adiantado, mas se recuperando para espalmar a escanteio.

Raul, destaque da partida, pediu substituição aos 12 do segundo tempo, por lesão muscular, o que parecia complicar de vez a vida do Vasco. Em seguida, Vitinho caiu na área pedindo pênalti inexistente e, em meio a uma confusão com quatro cartões amarelos mostrados, Diego foi expulso.

O Vasco caminharia para a vitória não fosse o incrível erro do zagueiro Luiz Gustavo, o mesmo pressionado por torcedores uniformizados na saída do treino, três dias atrás. No cruzamento de Pará, despretensioso, Luiz Gustavo cabeceou para dentro de seu próprio gol.

Já são oito clássicos sem vitórias do Vasco sobre seu grande rival. São seis empates e dois triunfos rubro-negros.


Informações e palpites da 25a rodada do Brasileirão
Comentários 4

PVC

CEARÁ x VITÓRIA
Sábado, Castelão, 16h
CEARÁ – Problemas – Fabinho (machucado), Éder (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Éverson, Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e Felipe Jonatan; Edinho e Richardson; Leandro Carvalho, Juninho Quixadá e Calyson; Arthur. Técnico: Lisca
Últimos cinco jogos – evvdd
VITÓRIA – Problemas – Erick (terceiro cartão), Lucas Ribeiro (expulso), Arouca (machucado), William Farias (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Ronaldo, Jéferson, Ramon, Aderllan e Fabiano; Léo Gomes; Rodrigo Andrade, Meli, Neílton e Walter Bou; Léo Ceará. Técnico: Paulo César Carpegianbi
Últimos cinco jogos – vevvd
CURIOSIDADE – No primeiro turno, o Vitória venceu por 2 x 1, dirigido por Vágner Mancini, enquanto o Ceará era orientado por Marcelo Chamusca. Hoje, os dois treinadores estão fora da Série A.
RETROSPECTO – Na história, em Fortaleza, houve duas vitórias do Ceará, uma do Vitória e um empate.
PALPITE – Ceará
ARBITRAGEM – Marcelo Aparecido de Souza (SP); Anderson José de Moraes Coelho (SP), Bruno Salgado Rizo (SP)

GRÊMIO x PARANÁ
Sábado, Arena do Grêmio, 16h
GRÊMIO – Problemas – André (machucado), Jael (machucado), Thaciano (terceiro cartão), Maicon (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Paulo Victor, Leonardo, Paulo Miranda, Bressan e Marcelo Oliveira; Cícero e Matheus; Marinho, Douglas e Pepê; Alisson. Técnico: Renato Gaúcho
Últimos cinco jogos – devvd
PARANÁ – Problemas – Biteco (machucado), Cléber Reis (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Richard, Júnior, Renê Santos, Rayan e Igor; Leandro Vilela e Alex Santana; Nádson, Caio Henrique e Carlos; Grampola. Técnico: Claudinei Oliveira
Últimos cinco jogos – dedde
CURIOSIDADE – A última vitória do Paraná no velho estádio Olímpico foi em 2003, por 2 x 0.
RETROSPECTO – Em Porto Alegre, são quatro vitórias do Grêmio, dois empates e duas vitórias do Paraná.
PALPITE – Grêmio
ARBITRAGEM – Igor Junio Benevenuto (MG); Felipe Alan Costa de Oliveira (MG), Ricardo Junio de Souza (MG)

VASCO x FLAMENGO
Sábado, Mané Garrincha (Brasília), 19h
VASCO – Problemas – Yago Pikachu (expulso), Breno (machucado), Rildo (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Martin Silva, Lenon, Luiz Gustavo, Leandro Castan e Ramon; Desábato; Giovanni Augusto, Raul, William Maranhão e Thiago Galhardo; Maxi López. Técnico: Alberto Valentim
Últimos cinco jogos – ddddv
FLAMENGO – Problemas – Nenhum – Time provável (4-1-4-1) – Diego Alves, Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuellar; Éverton Ribeiro, Diego, Lucas Paquetá e Vitinho; Uribe. Técnico: Maurício Barbiéri
Últimos cinco jogos – evddv
CURIOSIDADE – Em 26 de março de 2017, Flamengo e Vasco jogaram no estádio Mané Garrincha, em Brasília, com empate por 2 x 2.
RETROSPECTO – São duas vitórias do Flamengo e cinco empates nas últimas partidas entre os dois clubes.
PALPITE – Flamengo
ARBITRAGEM – Luiz Flávio de Oliveira (SP); Marcelo Van Gasse (SP), Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)

BOTAFOGO x AMÉRICA MINEIRO
Domingo, Nílton Santos, 11h
BOTAFOGO – Problemas – Gatito Fernández (machucado), Jéfferson (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Saulo, Marcinho, Carli, Igor Rabelo e Moisés; Lindoso; Luiz Fernando, Matheus Fernandes, Bochecha e Erik; Kieza. Técnico: Zé Ricardo
Últimos cinco jogos – dedvd
AMÉRICA MINEIRO – Problemas – Ruy (recuperação física), Aylon (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – João Ricardo, Norberto, Matheus Ferraz, Messias e Carlinhos; Leandro Donizete e David; Juninho, Wesley e Matheusinho; Luan. Técnico: Adílson Batista
Últimos cinco jogos – evdde
CURIOSIDADE – No primeiro confronto, em 1971, o técnico do América era Aírton Moreira, técnico do Cruzeiro na Taça Brasil de 1966 e irmão de Zezé Moreira, treinador do Botafogo campeão carioca em 1948.
RETROSPECTO – No Rio de Janeiro, são três vitórias do Botafogo e um empate em quatro partidas de Campeonato Brasileiro.
PALPITE – Botafogo
ARBITRAGEM – Rodrigo Batista Raposo (DF); José Reinaldo Nascimento Júnior (DF), Luciano Benevides de Souza (DF)

CRUZEIRO x ATLÉTICO MINEIRO
Domingo, Mineirão, 16h
CRUZEIRO – Problemas – Robinho (terceiro cartão) – Time provável (4-2-3-1) – Rafael, Ezequiel, Manoel, Murilo e Marcelo Hermes; Ariel Cabral e Bruno Silva; Rafinha, Mancuello e David; Raniel. Técnico: Mano Menezes
Últimos cinco jogos – veeed
ATLÉTICO MINEIRO – Problemas – Nenhum – Time provável (4-1-4-1) – Victor, Émerson, Leonardo Silva, Maidana e Fábio Santos; Adílson; Luan, Elias, Cazares e Chará; Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi
Últimos cinco jogos – vvede
CURIOSIDADE – No primeiro turno, Roger Guedes foi o destaque do jogo e autor do gol da vitória atleticana.
RETROSPECTO – Na história do Brasileirão, são 23 vitórias do Atlético, 20 do Cruzeiro e 18 empates, no Mineirão.
PALPITE – Atlético
ARBITRAGEM – Rafael Traci (PR); Ivan Carlos Bohn (PR), Rafael Trombeta (PR)

SANTOS x SÃO PAULO
Domingo, Vila Belmiro, 16h
SANTOS – Problemas – Lucas Veríssimo (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Vanderlei, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Róbson Bambu e Dodô; Yuri; Sasha, Carlos Sánchez, Diego Pituca e Rodrygo; Gabriel. Técnico: Cuca
Últimos cinco jogos – vevev
SÃO PAULO – Problemas – Régis (terceiro cartão), Bruno Peres (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Sidão, Hudson, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo; João Rojas, Jucilei, Liziero e Éverton; Nenê e Diego Souza. Técnico: Diego Aguirre
Últimos cinco jogos – vdeve
CURIOSIDADE – Apesar de o Brasileirão ser se iniciado em 1971, ou 1959, de acordo com a unificação da CBF, o primeiro clássico na Vila Belmiro pelo Campeonato Nacional aconteceu em 1990.
RETROSPECTO – O São Paulo não vence o Santos na Vila Belmiro pelo Brasileirão desde 2009.
PALPITE – Empate
ARBITRAGEM – Ricardo Marques Ribeiro (MG); Guilherme Dias Camilo (MG), Sidmar dos Santos Meurer (MG)

ATLÉTICO PARANAENSE x FLUMINENSE
Domingo, Arena da Baixada, 16h
ATLÉTICO PARANAENSE – Problemas – Marcelo Cirino (machucado), Bruno Nazário (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Santos, Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington e Lucho González; Nikão, Raphael Veiga e Marcinho; Pablo. Técnico: Tiago Nunes
Últimos cinco jogos – ddvvv
FLUMINENSE – Problemas – Ayrton Lucas (terceiro cartão), Pedro (machucado), Gilberto (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Júlio César, Léo, Gum, Digão e Marlon; Richard e Jádson; Dodi, Sornoza e Everaldo; Kayke. Técnico: Marcelo Oliveira
Últimos cinco jogos – veedv
CURIOSIDADE – Atlético Paranaense e Fluminense já duelaram numa semifinal de Brasileirão, em 2001.
RETROSPECTO – O Atlético venceu os dois últimos jogos na Arena pelo Brasileirão. O Fluminense ganhou pela última vez em 2015.
PALPITE – Atlético Paranaense
ARBITRAGEM – André Luiz de Freitas Castro (GO); Bruno Raphael Pires (GO), Leone Carvalho Rocha (GO)

BAHIA x PALMEIRAS
Domingo, Fonte Nova, 16h
BAHIA – Problemas – Bruno (machucado, dúvida), Vinícius (terceiro cartão) – Time provável (4-2-3-1) – Douglas, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Élton e Gregore; Élber, Marco Antônio e Zé Rafael; Gilberto. Técnico: Enderson Moreira
Últimos cinco jogos – dvdvd
PALMEIRAS – Problemas – Deyverson (expulso) – Time provável (4-2-3-1) – Fernando Prass, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Victor Luís; Felipe Melo e Gabriel Furtado; Arthur, Lucas Lima e Hyoran; Papagaio. Técnico: Luiz Felipe
Últimos cinco jogos – dvvvd
CURIOSIDADE – Enderson Moreira enfrentou o Palmeiras duas vezes nesta Copa do Brasil. Como mandante, perdeu pelo América no Independência e empatou pelo Bahia na Fonte Nova.
RETROSPECTO – O Palmeiras não perde para o Bahia na Fonte Nova, pelo Brasileirão, desde 1988. São cinco vitórias e três empates, neste período.
PALPITE – Palmeiras
ARBITRAGEM – Héber Roberto Lopes (PR); Henrique Neu Ribeiro (MG), Éder Alexandre (SC)

CORINTHIANS x SPORT

Domingo, Itaquera, 19h
CORINTHIANS – Problemas – Renê Júnior (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Cássio, Fágner, Pedro Henrique, Henrique e Danilo Avelar; Ralf e Douglas; Romero, Jádson e Clayson; Roger. Técnico: Jair Ventura
Últimos cinco jogos – eddev
SPORT – Problemas – Felipe Bastos (afastado pela direitoria), Michel Bastos (afastado pela diretoria), Marlone (emprestado pelo Corinthians), Ronaldo Alves (terceiro cartão), Gabriel (machucado), Cláudio Winck (machucado, dúvida) – Time provável (4-2-3-1) – Magrão, Ernando, Léo Ortiz, Durval e Sander; Marcão Silva; Rogério, Jair, Neto Moura e Morato; Hernane. Técnico: Eduardo Baptista
Últimos cinco jogos – edvdd
CURIOSIDADE – Foi do Sport que o Corinthians contratou um de seus ídolos da Democracia Corinthiana: Biro-Biro.
RETROSPECTO – O Corinthians enfrentou o Sport quatro vezes em Itaquera e venceu as quatro.
PALPITE – Corinthians
ARBITRAGEM – Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC); Hélton Nunes (SC), Alex dos Santos (SC)

CHAPECOENSE x INTERNACIONAL
Segunda-feira, Arena Condá, 20h
CHAPECOENSE – Problemas – Fabrício Bruno (machucado), Neto (machucado), Perotti (machucado), Vinicius (machucado), Moisés Ribeiro (suspenso por doping) – Time provável (4-2-3-1) – Jandrei, Eduardo, Rafael Thyere, Nery Bareiro e Bruno Pacheco; Elicarlos e Márcio Araújo; Doffo, Diego Torres e Victor Andrade; Leandro Pereira. Técnico: Guto Ferreira
Últimos cinco jogos – deddd
INTERNACIONAL – Problemas – Rossi (terceiro cartão), Rodrigo Dourado (machucado, dúvida) – Time provável (4-1-4-1) – Marcelo Lomba, Zeca, Rodrigo, Victor Cuesta e Iago; Gabriel Dias; Nico López, Edenílson, Patrick e William Pottker; Jonathan Álvez. Técnico: Odair Hellmann
Últimos cinco jogos – vveev
CURIOSIDADE – Guto Ferreira foi um dos treinadores da campanha do acesso do Internacional para a Série A, em 2017.
RETROSPECTO – O Internacional jogou na Arena Condá três vezes pelo Brasileirão e perdeu as três, uma delas por 5 x 0. Ganhou pela Copa do Brasil, em 2008.
PALPITE – Internacional
ARBITRAGEM – Wágner do Nascimento Magalhães (RJ); Luiz Cláudio Regazone (RJ), Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ)