PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do PVC

Guardiola contra o Barcelona é o melhor do sorteio da Champions

PVC

25/08/2016 14h24

Poucas vezes pareceu haver tanto equilíbrio de forças na Champions League em sua fase de grupos. Talvez pelo aparente declínio do do Napoli e de representantes antes fortíssimos, como o Lyon. Também porque os quatro representantes ingleses não carregam o peso de antes, pelas presenças de Leicester e Tottenham. A concentração de forças está em Real Madrid, Barcelona, Bayern e uma grande curiosidade sobre a Juventus, que sonha voltar à final depois de uma temporada com queda nas oitavas-de-final. O grande confronto será entre Barcelona e Manchester City. Guardiola pelos citizens e acompanhado de diretores que o ajudaram a formar o Barça super poderoso. Abaixo, a avaliação dos oito grupos da Champions League.

GRUPO A

Paris Saint-Germain, Arsenal, Basel e Ludogorets

O Paris Saint-Germain será dirigido por Unai Emery, mas não terá mais Ibrahimovic. Mesmo assim, parece o time mais forte do grupo em função da má fase do Arsenal, um empate e uma derrota nas duas primeiras rodadas do Campeonato Inglês. Também pelo fato de o Basel ser um conhecido matador de clubes ingleses. Em 2011/12, tirou o Manchester United na fase de grupos. Em 2013/14, eliminou o Liverpool.

Palpite – Paris Saint Germain e Arsenal

GRUPO B

Benfica, Napoli, Dynamo Kiev e Besiktas

O Benfica segue sua tendência de crescimento na Europa, depois de dois vice-campeonatos seguidos da Liga Europa e da classificação para as quartas-de-final da Champions League do ano passado. Rui Vitória mantém a estrutura do time tricampeão português. Vai se encontrar com Talisca, agora no Besiktas, por empréstimo. O Napoli chega enfraquecido pela ausência de Gonzalo Higuain e mostrou isso no empate com o Pescara na estreia. Atenção ao Dynamo de Kiev, dirigido por Sergej Rebrov.

Palpite – Benfica e Napoli

GRUPO C

Barcelona, Manchester City, Borussia Monchengladbach e Celtic

Não será o primeiro encontro entre o Barcelona e Guardiola, mas o mais emblemático. Porque o Manchester City quer ser Barça e o exemplo é ter no comando Guardiola e os diretores Ferran Soriano e Txiki Beguiristain. Tudo é Barcelona no Ettihad Stadium. Não parece haver risco para as classificações dos dois, mas o Borussia Monchengladbach chega com experiência depois do retorno à Champions na temporada passada e o Celtic merece atenção, dirigido agora por Brendan Rodgers.

Palpite – Manchester City e Barcelona

GRUPO D

Bayern, Atlético de Madrid, PSV e Rostov

O Bayern sonhou três temporadas em chegar à final da Liga dos Campeões sob o comando de Guardiola. No período, quem chegou duas vezes foi o Atlético de Madrid, de Diego Simeone. Agora tem Carlo Ancelotti, o técnico que ajudou a tirar do Atlético a Champions em Lisboa. O PSV Eindhoven não supera a fase de grupos desde 2007, mas volta credenciado por eliminar o Manchester United na primeira fase da Liga Europa na temporada passada. O Rostov é azarão

Palpite – Bayern e Atlético de Madrid

GRUPO E

CSKA, Bayer Leverkusen, Tottenham e Monaco

O técnico Thomas Tuchel, do Borussia Dortmund, diz que o Bayer Leverkusen é o maior adversário do Bayern na Bundesliga. Isso indica força. Mas este grupo é o mais equilibrado de todos, com o Monaco de Leonardo Jardim, mostrando poder ao eliminar o Villarreal na fase preliminar. O Tottenham tem uma vitória e um empate nas duas primeiras rodadas. Empate com o Everton e vitória magra sobre o Crystal Palace são inconsistentes para demonstrar força. O CSKA do brasileiro Mario Fernandes é sempre forte.

Palpite – Bayer Leverkusen e Monaco

GRUPO F

Real Madrid, Borussia Dortmund, Sporting e Légia Varsóvia

O Real Madrid recuperará Cristiano Ronaldo aos poucos e será forte como sempre. Favorito absoluto para ganhar o grupo. O Légia volta como azarão. A questão é entre o Sporting, de Jorge Jesus, ou o Borussia Dortmund, de Thomas Tuchel. Jorge Jesus é ambicioso, mas o projeto sportinguista é voltar a ser campeão português. Tuchel deixa claro que seu time precisa ser remontado depois das perdas de Mikhtarian, Hummels e Gundogan.

Palpite – Real Madrid e Borussia Dortmun

GRUPO G

Leicester, Porto, Brugge e Copenhaguen

Não é simples como parece. Primeiro porque o Leicester é calouro na Champions League e a falta de experiência do clube pode pesar. O Copenhaguen, por exemplo, não é novato. Em 2014, ganhou do Galatasaray e empatou com a Juventus numa disputa que também tinha o Real Madrid. Em 2011, classificou-se à frente de Rubin Kazan e Panathinaikos na chave do Barcelona. O Brugge é dirigido por Michel Preud'Homme e o Porto, de Nuno Espírito Santo, é o mais forte.

Palpite – Porto e Leicester

GRUPO H

Juventus, Sevilla, Lyon e Dinamo Zagreb

Aqui a situação é inversa à do grupo de cima. O Lyon é um grande nome, não um grande time. Não avança às oitavas-de-final desde 2012, curiosamente ano em que caiu na chave do Dinamo Zagreb, lanterna daquela vez, candidato à última posição nesta edição. Juventus e Sevilla são os mais fortes. A Juve deu azar no sorteio das oitavas no ano passado e foi eliminada pelo Bayern vendendo caro a vaga. Neste ano, pensa em semifinal, pelo menos. O Sevilla de Jorge Sampaoli precisa se provar, mas é em teoria mais forte do que o terceiro colocado do Campeonato Francês.

Palpite – Juventus e Sevilla

 

Sobre o Autor

Paulo Vinicius Coelho é jornalista esportivo, blogueiro do UOL, colunista da Folha de S. Paulo. Cobriu seis Copas do Mundo (1994, 1998, 2006, 2010, 2014 e 2018) e oito finais de Champions League, in loco. Nasceu em São Paulo, vive no Rio de Janeiro e seu objetivo é olhar para o mundo. Falar de futebol de todos os ângulos: tático, técnico, físico, econômico e político, em qualquer canto do planeta. Especializado em futebol do mundo.

Sobre o Blog

O blog tem por objetivo analisar o futebol brasileiro e internacional em todos os seus aspectos (técnico, tático, político e econômico), sempre na tentativa de oferecer uma visão moderna e notícias em primeira mão.

Blog do PVC