Blog do PVC

Primeiro teste na Europa mostra Brasil ainda em construção

PVC

O empate por 0 x 0 entre Inglaterra e Brasil na 13a visita da seleção a Wembley mostrou o Brasil ainda com dificuldade contra a primeira seleção europeia enfrentada por Tite. O Brasil não teve infiltração, poucas chances claras de gol e esbarrou no goleiro Hart na melhor oportunidade, um chute de Paulinho no segundo tempo.

A Inglaterra postou-se num 5-3-2. Na imagem capturada da televisão, você vê uma linha de cinco homens na defesa, composta por Walker, Joe Gomez, Maguire, Stones e Bertrand. Pela esquerda, Rashford se junta aos três volantes, Dier, Livermore e Loftus-Cheek. O 5-3-2 transformava-se num 5-4-1, quando Rashford acompanhava Daniel Alves.

Evidentemente, não é fácil enfrentar um adversário postado assim. O teste era justamente para entender isto contra uma escola diferente.

O sistema inglês pode se repetir muitas vezes na Copa do Mundo da Rússia. A Alemanha enfrentou a Inglaterra jogando num 3-4-3 que se transforma em 5-4-1 quando a equipe defende. Hoje, contra a França, foi diferente e os alemães atuaram num 4-1-4-1.

Mas a linha de cinco será adversária do Brasil provavelmente na Copa do Mundo. Daí a necessidade de encontrar jogadas, tabelas e triangulações suficientes para entrar na defesa rival.

Contra os ingleses, isto não aconteceu, apesar de faltarem pelo menos cinco titulares: Cahill, Delle Alli, Sterling, Henderson e Harry Kane. Estes cinco foram titulares nos jogos de outubro e setembro. Outras ausências como Delph também são importantes, mas não titulares absolutos.

Neymar teve raros momentos de jogo coletivo, como no passe a Paulinho na melhor chance do Brasil na partida. O Brasil teve mais posse de bola e finalizou mais. Mas falta a certeza de que pode vencer.