Blog do PVC

Quase virou Suíça, 1954

PVC

Se a Sérvia vencesse a Suíça por 1 x 0, como acontecia até os 7 minutos do segundo tempo, a situação do Grupo E da Copa do Mundo lembraria a história da Copa de 1954. Sérvia e Brasil poderiam empatar e eliminar os suíços. Não aconteceria, porque Tite faria questão de ter honra, mas a hipótese haveria. Como há 64 anos, quando os iugoslavos avisavam aos brasileiros que o empate servia e os brasileiros julgavam que seria necessário vencer. A história é bizarra, mas muito mais é como nos relacionamos com ela. A cada risco de marmelada, muita gente diz que vai haver combinação para que o empate classifique antes, como sendo uma vergonha. Mas em 1954 a vergonha era o Brasil não saber que podia fazer a marmelada. Nossa alma macunaímica é difícil de entender, às vezes…

Mas não vai haver o risco de eliminar os suíços com um arranjo, como aconteceria na Suíça há 64 anos, porque Shaqiri destruiu, Xhaka jogou muito e o segundo tempo transformou o que parecia ser vitória sérvia em profecia brasileira. Na comissão técnica, em Socchi, sempre se disse: ''A Suíça é mais time do que a Sérvia e do que a Costa Rica.''

Pois sobrou para o Brasil a obrigação de ganhar da Sérvia para ser primeiro colocado do grupo ou empatar para conseguir a simples classificação. Nada mau.

Sexta-feira, 22/junho/2018
SÉRVIA 1 x 1 SUÍÇA – 15h, 21h
Local: Kaliningrado Stadium (Kaliningrado); Juiz: Felix Brych (Alemanha); Público: 33.177; Gols: Mitrovic 4 do 1º; Xhaka 7, Shaqiri 46 do 2º; Cartão amarelo: Milinkovic-Savic, Matic, Mitrovic, Shaqiri
SÉRVIA (4-2-3-1): 1. Stojkovic (5), 6. Ivanovic (6), 15. Milenkovic (6), 3. Tosic (6,5) e 11. Kolarov (6,5); 4. Milivojevic (6) (18. Radanojic 35 do 2º (sem nota)) e 21. Matic (6,5); 10. Tadic (7), 20. Milinkovic-Savic (6) e 17. Kostic (5) (22. Ljajic 19 do 2º (5)); 9. Mitrovic (7). Técnico: Mladen Krstajic
SUÍÇA (4-2-3-1): 1. Sommer (5,5), 2. Lichtsteiner (6,5), 22. Schar (5), 5. Akanji (5) e 13. Ricardo Rodriguez (5,5); 10. Xhaka (7,5) e 11. Bherami (6); 23, Shaqiri (7,5), 15. Dzemaili (5) (7. Embolo 28 do 2º (6)) e 14. Zuber (7); 9. Seferovic (6) (18. Gavranovic, intervalo (4)). Técnico: Vladimir Petkovic
Posse de bola – 43% x 57% – Finalizações – 11 x 13
Homem do jogo Fifa – Shaqiri
Homem do jogo PVC – Shaqiri