Blog do PVC

Geração de craques contrapõe futebol local pobre e põe Croácia na semi

PVC

O Campeonato Nacional da Croácia tem 2.948 pagantes por jogo. Não é o ambiente do futebol local o que empurra o time para sua segunda semifinal. É a alma de uma geração que sabia ter uma dívida. Em Mostar, onde nasceu Luka Modric, o capitão, o jornal L'Equipe retrata que há uma faixa dizendo que mesmo ganhando a Copa ele será a vergonha do país. Tudo porque perdeu pênalti contra a Turquia, nas quartas-de-final da Eurocopa de 2008.

A geração de Rakitic, Mandzukic, Corluka, Vida, Subasic fracassou na tentativa de avançar da fase de grupos nas Copas de 2006 e 2014, também nas oitavas-de-final da Eurocopa, eliminada por Portugal na prorrogação e na fase de grupos da Euro 2012.

Antes da Copa do Mundo, os jornalistas croatas diziam que os jogadores assumiam para eles este desafio, o de avançar com uma campanha histórica. A Croácia não é a herdeira da Iugoslávia, porque a Fifa atribui à Sérvia essa herança. Mas é responsável por boa parte da geração de Prosinecki, Boban e Suker, todos campeões mundiais sub-20 pela velha seleção iugoslava.

A partida foi heróica. A Rússia fez 1 x 0 com Cheryshev e Mandzukic — grande atuação — deu o passe para Kramaric empatar no primeiro tempo. Na prorrogação, o zagueiro Vida deixou a Croácia perto da classificação, mas Mário Fernandes recebeu passe preciso de Dzagoev para empatar.

A decisão por pênaltis produz o recorde desse tipo de desempate na história das Copas. São quatro, empate com as edições e 1990 e 2014.

RÚSSIA 2 x 2 CROÁCIA – 15h, 21h
Local: Fisht Stadium (Socchi); Juiz: Sanddro Meira Ricci (Brasil); Gols: Cheryshev 32, Kramaric 40 do 1º; Vida 10 do 1º da prorrogação; Mário Fernandes 9 do 2o da prorrogação; Cartão amarelo: Lovren, Vida, Gazinsky
RÚSSIA (4-4-2): 1. Akinfeev (6), 2. Mário Fernandes (7,5), 3. Kutepov (5), 4. Ignashevich (6) e 13. Kudryashov (6); 7. Kuzyaev (7) e 11. Zobnin (5,5); 19. Samedov (5,5) (21. Yerokin 9 do 2º (5)) e 6. Cheryshev (7) (10. Smolov 22 do 2º); 17. Golovin (6) (9. Dzagoev 12 do 1º da prorrogação (sem nota)) e 22. Dzyuba (7) (8. Gazynski 34 do 2º (5)). Técnico: Stanislav Cherchesov
CROÁCIA (4-2-3-1): 23. Subasic (8), 2. Vrsalijko (6,5) (5. Corluka 6 do 1º da prorrogação (sem nota)), 6. Lovren (6), 21. Vida (7,5) e 3. Strinic (6) (22. Prvaric 28 do 2º); 7. Rakitic (5) e 10. Modric (5,5); 4. Perisic (6) (11. Brozovic 18 do 2º), 9. Kramaric (6,5) (8. Kovacic 43 do 2º (sem nota)) e 18. Rebic (6,5); 17. Mandzukic (7,5). Técnico: Zlatko Dalic
Nos pênaltis – Smolov (Subasic), Brozovic (Gol), Dzagoev (Gol), Kovacic (Akinfeev), Mário Fernandes (Fora), Modric (Gol), Ignashevich (Gol), Vida (Gol), Kuzyaev (Gol), Rakitic (Gol)
Posse de bola – 35% x 65% – Finalização – 10 x 16
Homem do jogo Fifa – Subasic
Homem do jogo PVC – Subasic