Blog do PVC

França confirma Copa sem craque e com futebol-esquadra

PVC

A França é campeã do mundo, com metade de seus gols marcados de bola parada.

Numa final em que a Croácia começou muito forte, pressionando, dificultando a saída de bola francesa, jogando pelos dois lados, com Perisic pela esquerda, Rebic pela direita. Criando chances de gol.

Até que a França, cirúrgica, teve um contra-ataque. Ajudado pela marcação de uma falta inexistente pelo árbitro Nestor Pitana. Griezmann cobrou e Mandzukic colocou para dentro do gol.

A Croácia insistia. Numa jogada parecida com a do gol de Mandzukic contra a Inglaterra, Perisic aproveitou o sobe e desce, bate-rebate, e finalizou. O empate durou pouco, porque o árbitro Nestor Pitana viu pênalti no toque na mão de Perisic.

Viu, não. Voi ao vídeo, viu, saiu do monitor e voltou, demonstrando sua evidente insegurança. Então, marcou pênalti.

Não foi. Griezmann cobrou e fez.]

Eleito o melhor em campo, pela participação nos dois gols, Griezmann é o primeiro jogador desde Just Fontaine a participar de sete gols 14 gols franceses. A França terminou com 14 gols, melhor ataque, empatado com a Bélgica e a Croácia.

Muito em função do segundo tempo, em que Pogba jogou muito e Mbappé confirmou o que se sabe dele: decide. Jogadsa de velocidade são com ele mesmo. Numa arrancada contra o zagueiro Vida, ganhou em velocidade e, quando parecia perder, tocou na bola e finalizou. Depois, foi premiado pelo gol em chute de fora da área.

Mbappé é o primeiro jogador com menos de 20 anos a marcar numa final de Copa do Mundo depois de Pelé.

Não, ele não é Pelé.
Mas pode ser o primeiro eleito depois da era Cristiano Ronaldo e Messi. Merecerá ser neste ano se continuar jogando bem pelo Paris Saint-Germain.

Mas a Copa não teve um craque indiscutível, pela quarta vez seguida. Não houve um gênio inquestionável nem em 2006, nem 2010, nem 2014, nem em 2018. À parte os grandes trabalhos de Iniesta, Cannavaro, Thomas Muller e Mbappé, Griezmann… A era é dos times.

As grandes seleções não podem servir para levar ao Olimpo um único jogador. As grandes seleções são para serem campeãs.

A França é.

FINAL
Domingo, 15/julho/2018
FRANÇA 4 x 2 CROÁCIA – 12h, 18h

Local: Luzhniki (Moscou); Juiz: Nestor Pitana (Argentina); Público: 78.011; Gols: Mandzukic (contra) 16, Perisic 24 do 1º; Griezmann (pênalti) 38 do 1º; Pogba 14, Mbappé 19, Mandzukic 24 do 2º; Cartão amarelo: Kanté (23’), Lucas Hernandez (40’)
FRANÇA (4-3-2-1): 1. Lloris (5,5), 2. Pavard (6), 4. Varane (6), 5. Umtiti (7,5) e 21. Lucas Hernández (6); 13. Kanté (6) (15. Nzonzi 9 do 2º (6,5)), 6. Pogba (8) e 14. Matuidi (6,5) (12. Tolisso 28 do 2º (6)); 10. Mbappé (8,5) e 7. Griezmann (8); 9. Giroud (6) (18. Fekir 32 do 2º (sem nota)). Técnico: Didier Deschamps
CROÁCIA (4-1-4-1): 23. Subasic (6,5), 2. Vrsaljko (6), 6. Lovren (6), 21. Vida (7) e 3. Strinic (5) (20. Pjaca 37 do 2º (sem nota)); 11. Brozovic (6); 18. Rebic (6,5) (9. Kramaric 26 do 2º (6)), 10. Modric (5), 7. Rakitic (6) e 4. Perisic (7); 17. Mandzukic (6,5). Técnico: Zlatko Dalic
Posse de bola 39% x 61% – Finalizações – 8 x 15
Homem do jogo Fifa – Griezmann
Homem do jogo PVC – Mbappé