PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do PVC

A piada do Santos e a goleada são-paulina

PVC

19/01/2019 20h15

Jorge Sampaoli reproduziu a nota oficial do Santos e afirmou que Bruno Henrique não se apresentou à concentração pela manhã, nem deu explicação. Ora, mas a explicação não era óbvia? Bruno Henrique foi vendido e o contrato assinado perto das 2 horas da madrugada. Razão pela qual, às 8 da manhã, ele já era jogador do Flamengo. Não podia jogar pelo Santos, porque tinha contrato com outro clube.

É completamente diferente da situação de De Arrascaeta, descrita pelo vice-presidente do Cruzeiro, Itair Machado. Quando não se apresentou no primeiro dia de treinos, o meia uruguaio ainda tinha contrato com o time celeste. Logo, compromisso. Bruno Henrique, não. Se José Carlos Peres queria que Bruno Henrique se apresentasse na manhã de sábado, deveria ter adiado a venda para domingo.

Mas Sampaoli se virou. O Santos jogou bem, com predomínio e controle do jogo. Falta poder de fogo. O Santos sabe como induzir o adversário ao erro, mas não tem quem defina as jogadas. Sampaoli de novo escalou os santistas com Alisson como líbero, na saída de jogo. Três atrás e os laterais liberados para atacar, como alas. Na frente, três homens.

"Nosso objetivo é ter sempre um livre", disse o treinador argentino. Perfeito. Sempre deixar um jogador em condição de decidir a partida.

O São Paulo começou inseguro e levou 1 x 0 em erro de posicionamento do lado esquerdo. Assentou rapidamente. Chegou ao empate em jogada pelo alto, com Ândereson Martins, teve Nenê participando bem e Reinaldo em noite artilheira. Percebe-se a dedicação de André Jardine para formar uma equipe consciente na saída de bola, sempre pelo chão. Falta, claro, o preparo físico e técnico que haverá em fevereiro.

Pablo estreou sob aplausos, com gol e boa atuação. Como técnico do São Paulo, em jogos oficiais, agora Jardine tem duas vitórias, dois empates e duas derrotas.

Sobre o Autor

Paulo Vinicius Coelho é jornalista esportivo, blogueiro do UOL, colunista da Folha de S. Paulo. Cobriu seis Copas do Mundo (1994, 1998, 2006, 2010, 2014 e 2018) e oito finais de Champions League, in loco. Nasceu em São Paulo, vive no Rio de Janeiro e seu objetivo é olhar para o mundo. Falar de futebol de todos os ângulos: tático, técnico, físico, econômico e político, em qualquer canto do planeta. Especializado em futebol do mundo.

Sobre o Blog

O blog tem por objetivo analisar o futebol brasileiro e internacional em todos os seus aspectos (técnico, tático, político e econômico), sempre na tentativa de oferecer uma visão moderna e notícias em primeira mão.

Blog do PVC