Topo
Blog do PVC

Blog do PVC

Categorias

Histórico

Palmeiras perde do San Lorenzo por culpa de seus próprios erros

PVC

2002-04-20T19:20:55

02/04/2019 20h55

O Palmeiras não perdia desde o dia 2 de fevereiro. quando caiu contra o Corinthians no Allianz Parque. A seqüência de doze partidas, com sete vitórias e cinco empates, se encerrou com a pior apresentação do Palmeiras na Libertadores. Apesar de ter pressionado o San Lorenzo, com quinze cruzamentos e sete finalizações, duas no gol, uma na trave, o time de Felipão não conseguiu fazer tabelas e triangulações. Os erros defensivos permitiram um chute no poste, de Castellani, falha de Thiago Santos, na primeira etapa, e o gol de Herrera, num chute de fora da área, aos 5 minutos da segunda etapa.

O maior problema não é o exagero dos lançamentos. Foram 31.

O defeito é a solidão dos armadores, quando recebem bolas no campo de ataque, sem opções de passes em direção à meta adversária. O resumo é a dependência de jogadas de bola parada, responsáveis por 37,5% dos 24 gols palmeirenses na temporada. A última chance da partida foi uma cabeçada de Gustavo Gomez, depois de cobrança de escanteio de Dudu.

O San Lorenzo assume a liderança da chave com sete pontos, um a mais do que o Palmeiras, que terá duas partidas no Allianz Parque no segundo turno. Há 51 anos, o Palmeiras não vence as três primeiras partidas da Libertadores. Só em 1968 conseguiu esse feito, ganhando de Deportivo Português, Deportivo Galicia e Náutico. Naquele ano, terminou vice-campeão.

Terça-feira, 2/abril/2019
SAN LORENZO 1 x 0 PALMEIRAS – 19h15

Local: Nuevo Gasometro (Buenos Aires); Juiz: Julio Bascuñan (Chile); Claudio Rios (Chile); José Retamal (Chile); Gols: Herrera 5 do 2º; Cartão amarelo: Thiago Santos (32'), Bruno Henrique (40'), Castellani (46'), Marcos Rocha (46'), Herrera (50'), Deyverson (87')
SAN LORENZO: 1. Monetti (6), 24. Herrera (7), 22. Coloccini (6), 6. Senesi (e 29. Victor Salazar (5) (3. Damián Pérez 15 do 2º (5,5)); 30. Loaiza (6), 18. Román Martínez (4) e 8. Castellani (6); 11. Juan Camilo Salazar (5,5) (28. Barrios 32 do 2º (sem nota)), 9. Blandi (5) e 15. Reniero (5). Técnico: Jorge Almirón
Banco: 12. Torrico, 4. Peruzzi, 2. Gonzalo Rodriguez, 16. Ferrari, 3. Damián Pérez, 5. Ariel Rojas, 17. Poblete, 28. Nahuel Barrios, 19. Botta, 26. Fertoli, 11. Renteria, 20. Gustavo Torres
PALMEIRAS: 21. Wéverton (5), 2. Marcos Rocha (5,5), 25. Antônio Carlos (5), 15. Gustavo Gomez (5,5) e 6. Diogo Barbosa (6); 5. Thiago Santos (5) (30. Felipe Melo, intervalo (5,5)) e 19. Bruno Henrique (6) (20. Lucas Lima, intervalo (5)); 27. Felipe Pires (5) (23. Raphael Veiga 27 do 2º), 10. Moisés (6,5) e 7. Dudu (5,5); 16. Deyverson (4). Técnico: Luiz Felipe
Banco: 22. Jaílson, 3. Edu Dracena, 13. Luan, 26. Victor Luís, 30. Felipe Melo, 17, Jean, 8. Zé Rafael, 20. Lucas Lima, 23. Raphael Veiga, 28. Hyoran, 9. Borja, 29. Arthur Cabral

Sobre o Autor

Paulo Vinicius Coelho é colunista da Folha de S. Paulo, comentarista da Fox e blogueiro do UOL. Jornalista desde os 18 anos, descobriu ao completar 36 que já tinha mais tempo de jornalismo do que de sonho. Ou seja, mais anos no exercício da profissão do que tinha de idade quando publicou sua primeira matéria. Trabalhou na revista Placar, diário Lance!, ESPN Brasil, cobriu as Copas de 1994, 1998, 2006, 2010 e 2014, esteve em sete finais de Champions League.

Sobre o Blog

O blog tem por objetivo analisar o futebol brasileiro e internacional em todos os seus aspectos (técnico, tático, político e econômico), sempre na tentativa de oferecer uma visão moderna e notícias em primeira mão.

Mais Blog do PVC