Topo
Blog do PVC

Blog do PVC

Categorias

Histórico

Seleção e seu pior público em 18 anos

PVC

2010-06-20T19:09:18

10/06/2019 09h18

A maior goleada da seleção brasileira desde 2012 registou o menor público desde 2001.

Brasil x Panamá, 9 de agosto de 2001, registrou 15.549 torcedores.

Nunca mais o Brasil jogou para tão pouca gente quanto no Beira-Rio, 9 de junho de 2019: 16.521.

Em parte pode ser pelo valor dos ingressos. O preço médio, com a renda de R$ 1.202.890 dividida pelo público de 16.521 é de R$ 72.

Caro.

Mas há também o desânimo com a seleção, reforçado pelo caso Neymar e pela frustrante convocação de Willian.

Não é novidade que o debate em torno da seleção avance pelo lugar comum de que a torcida não liga mais para a seleção. Mas há muito momentos de contradições nesse discurso, porque o público comparece em número muito maior do que em Porto Alegre. Mesmo na era Tite, houve estádio cheio na Arena da Amazônia para Brasil x Colômbia (45 mil), em Natal contra a Bolívia (30 mil num estádio com capacidade para 31 mil) ou no Mineirão contra a Argentina (53 mil).

Também não é de hoje que, em crises, o Brasil leva pouca gente.

Na estreia na Copa América de 1989, na velha Fonte Nova com capacidade para 80 mil torcedores, a seleção colocou 13 mil pessoas para ver a partida contra a Venezuela. Havia crise entre o povo baiano que protestava contra a ausência de Charles, centroavante do Bahia. Do marasmo da Fonte Nova, o Brasil passou para festa no Recife e lotação do Maracanã na final contra o Uruguai, com 132 mil pagantes.

O que parece grave hoje é a seleção levar seu menor público em 18 anos num momento em que o público cresce, mesmo que timidamente, no país. O Flamengo tem média de 43 mil torcedores por partida no Brasileirão, o Corinthians tem 35 mil, o Palmeiras alcançou 31 mil.

A média de público do time de Tite em território brasileiro é de 35.575, em nove partidas. O Beira Rio vazio, no entanto, acende a luz de alerta.

Sobre o Autor

Paulo Vinicius Coelho é colunista da Folha de S. Paulo, comentarista da Fox e blogueiro do UOL. Jornalista desde os 18 anos, descobriu ao completar 36 que já tinha mais tempo de jornalismo do que de sonho. Ou seja, mais anos no exercício da profissão do que tinha de idade quando publicou sua primeira matéria. Trabalhou na revista Placar, diário Lance!, ESPN Brasil, cobriu as Copas de 1994, 1998, 2006, 2010 e 2014, esteve em sete finais de Champions League.

Sobre o Blog

O blog tem por objetivo analisar o futebol brasileiro e internacional em todos os seus aspectos (técnico, tático, político e econômico), sempre na tentativa de oferecer uma visão moderna e notícias em primeira mão.

Mais Blog do PVC