Topo
Blog do PVC

Blog do PVC

Categorias

Histórico

A Espanha ainda não é aqui. Flamengo e Palmeiras estão fora

PVC

18/07/2019 01h07

Dois dias depois de o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, voltar a dizer que Flamengo e Palmeiras eram candidatos a tudo, que nos próximos anos haverá hegemonia, de muita gente discutir se haverá espanholização do futebol brasileiro, os dois clubes mais ricos do país foram eliminados da Copa do Brasil.

O Flamengo jogou melhor do que o Athletico Paranaense na maior parte do jogo do Maracanã. Teve o controle da bola e as principais chances de gol. Mas, a partir do meio do primeiro tempo, o Furacão mostrou mais paciência para trocar passes e velocidade para explorar as costas dos laterais.

Gabriel fez o primeiro gol aos 18 do segundo tempo, depois de boa jogada de Vitinho e desvio de Éverton Ribeiro, de cabeça. A segunda etapa teve mais equilíbrio do que a primeira e o Athletico finalizou mais vezes, oito a seis. Fez o gol num lindo passe de Bruno Nazário, que havia entrado na vaga de Nikão. Seguiu construindo boas jogadas, mas o empate por 1 x 1, resultado repetido da semana passada, levou a decisão para os pênaltis.

Fábrica de vilões, as penalidades puniram as péssimas cobranças de Diego e Vitinho e premiou o excelente goleiro Santos, que defendeu o chute de Éverton Ribeiro. O Athletico está nas semifinais pela primeira vez desde 2013.

Também nos pênaltis foi a eliminação do Palmeiras, repetição do que aconteceu no Campeonato Paulista. Também repetiu-se o fato de Dudu não tomar posse de sua cobrança. O vilão do Beira-Rio foi Moisés, que entrou no intervalo no lugar de Lucas Lima, outra vez apagadíssimo.

O Internacional mereceu a classificação, porque foi melhor durante os noventa minutos. Controlou a posse de bola, finalizou mais, explorou a dificuldade palmeirense de manter a bola no campo de ataque. Isto tudo, apesar de maior estabilidade palmeirense depois da entrada de Willian no lugar de Zé Rafael, aos 13 minutos.

O árbitro Rafael Traci foi extremamente inseguro para marcar e depois anular pênalti de Edenílson em Felipe Melo. A impressão, de fato, foi de que Edenílson não tocou a perna esquerda de Felipe Melo. Depois, validar e anular gol de cabeça de Victor Cuesta, por falta sobre Felipe Melo.

Pelo jogo inteiro, o Internacional mereceu a vaga.

Reforça-se o equilíbrio da temporada brasileira, um enorme enduro de resistência.

A frustração de Flamengo e Palmeiras, no entanto, pode dar mais fôlego para seguir na Libertadores e no Brasileirão, prioridades para as duas torcidas.

O Internacional segue sonhando com seu segundo troféu de Copa do Brasil. O Athletico Paranaense quer sua primeira taça.

FLAMENGO 1 x 1 ATHLETICO PARANAENSE – 21h30

Local: Maracanã (Rio de Janeiro); Juiz: Wilton Pereira Sampaio (GO); Renda: R$ 4.106.610; Público: 64.864 (69.980); Gols: Gabriel 18, Rony 31 do 2º; Cartão amarelo: Gabriel, Léo Pereira, Rony

FLAMENGO: Diego Alves (6), Rafinha (5) (Rodinei 41 do 2º (sem nota)), Léo Duarte (6), Rodrigo Caio (6) e Renê (5,5); Cuellar (6,5); Éverton Ribeiro (6), Diego (4) e De Arrascaeta (sem nota)) (Vitinho 14 do 1º (5)); Lincoln (5) (Berrio 13 do 2º (6)) e Gabriel (7). Técnico: Jorge Jesus

ATHLETICO PARANAENSE: Santos (8), Jonathan (5,5), Léo Pereira (6), Róbson Bambu (6,5) e Márcio Azevedo (6) (Lucho González 44 do 2º (6)); Wellington (5,5) e Bruno Guimarães (6,5); Marcelo Cirino (6), Nikão (5,5) (Bruno Nazário 24 do 2º (6,5)) e Rony (8); Marco Ruben (6). Técnico: Tiago Nunes

Nos pênaltis (1×3) – Diego (Santos), Jonathan (Gol), Vitinho (por cima), Lucho González (Gol), Cuellar (Gol), Bruno Nazário (Diego Alves), Éverton Ribeiro (Santos), Bruno Guimarães (gol)

INTERNACIONAL 1 x 0 PALMEIRAS – 21h30

Local: Beira-Rio (Porto Alegre); Juiz: Rafael Traci (PR); Renda: R$ 2.306.661; Público: 42.344; Gols: Patrick 43 do 1º; Cartão amarelo: Luan, Gustavo Gómez, Marcos Rocha, Wellington Silva; Expulsão: D'Alessandro 48 do 2º; Pedro Lucas (depois do jogo)

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba (8), Bruno (5) (Nonato 30 do 2º (5,5)), Rodrigo Moledo (6), Victor Cuesta (6,5) e Uendel (5,5) (Wellington Silva 41 do 2º (sem nota)); Lindoso (8); D'Alessandro (8), Edenílson (7), Patrick (7) e Nico López (5,5) (Rafael Sóbis 20 do 2º (7)); Guerrero (7). Técnico: Odair Hellmann (8)

PALMEIRAS: Wéverton (7,5), Marcos Rocha (6), Luan (6), Gustavo Gómez (5,5) e Diogo Barbosa (6); Felipe Melo (6,5) e Bruno Henrique (6); Dudu (6), Lucas Lima (4) (Moisés, intervalo (5)) e Zé Rafael (5,5) (Willian 13 do 2º (6,5)); Deyverson (4,5) (Carlos Eduardo 29 do 2º (5)). Técnico: Luiz Felipe (5)

*O árbitro Rafael Traci marcou pênalti de Edenílson em Felipe Melo e depois voltou atrás ao assistir ao vídeo. Aos 47 do segundo tempo, validou gol de cabeça de Cuesta. Depois, invalidou a jogada marcando falta de Cuesta sobre Felipe Melo, pelo vídeo.

Nos pênaltis – Guerrero (Gol), Bruno Henrique (gol), Rafael Sóbis (gol), Gustavo Gómez (Marcelo Lomba), Edenílson (gol), Diogo Barbosa (gol), Lindoso (gol), Luan (gol), Patrick (Wéverton), Willian (gol), Nonato (gol), Moisés (trave)

Sobre o Autor

Paulo Vinicius Coelho é colunista da Folha de S. Paulo, comentarista da Fox e blogueiro do UOL. Jornalista desde os 18 anos, descobriu ao completar 36 que já tinha mais tempo de jornalismo do que de sonho. Ou seja, mais anos no exercício da profissão do que tinha de idade quando publicou sua primeira matéria. Trabalhou na revista Placar, diário Lance!, ESPN Brasil, cobriu as Copas de 1994, 1998, 2006, 2010 e 2014, esteve em sete finais de Champions League.

Sobre o Blog

O blog tem por objetivo analisar o futebol brasileiro e internacional em todos os seus aspectos (técnico, tático, político e econômico), sempre na tentativa de oferecer uma visão moderna e notícias em primeira mão.

Mais Blog do PVC