Topo

Histórico

Categorias

Carpegiani: "Comparações com 1981, só em caso de título"

PVC

20/11/2019 04h23

Paulo Cezar Carpegiani assumiu o posto de técnico do Flamengo dois dias antes da estreia na Libertadores de 1981, empate por 1 x 1 contra o Olimpia, no Maracanã. Do tropeço ao troféu mais cobiçado do continente, foram 16 jogos em quatro meses. Nos últimos meses, Carpegiani criticou Jorge Jesus por ter negociado com o Flamengo, enquanto havia um treinador empregado. Agora, afirma que só aceitará comparações com a equipe que venceu o Cobreloa, em 1981, em caso de título. Abaixo, a conversa com o treinador do Flamengo, campeão da Libertadores.

PVC – O que é fundamental para vencer a Libertadores?

CARPEGIANI – Só é campeão da Libertadores um time que se imponha ao adversário. Então, acho que o Flamengo vai precisar disso. Numa Libertadores, não se pode esperar pelo adversário, tentar ganhar de contra-ataque ou numa bola parada. É necessário tentar agredir, ter a posse de bola, finalizar. Se não for assim, não dá para vencer.

PVC – O Flamengo atualmente é um time que se impõe?

CARPEGIANI – Sim. E também o River Plate, equipe que conquistou dois títulos da Libertadores nos últimos cinco anos.

PVC – Em que muda a vida de um jogador ser campeão da Libertadores pelo Flamengo?

CARPEGIANI – Muda muito. É importante o jogador entender o que é seu time. O Flamengo foi se acertando com o passar do tempo. O Jorge Jesus não acertou de cara. Levou um tempo, um mês para começar a jogar no nível atual. Para isso, contou com a lesão do Diego, a saída do Cuellar, as escolhas dos jogadores ideais, para que a equipe fosse ganhando corpo, como ganhou.

PVC – Tem algum nível de comparação entre a equipe que disputará a final contra o River e os campeões de 1981?

CARPEGIANI – Só haverá se forem campeões. Não gosto de comparações, mas não se pode comparar hoje uma equipe que ganhou tudo, que foi campeã da Libertadores e do Mundial de Clubes, com a que disputará a final. Só aceito a comparação se forem campeões. Aquela é uma equipe que entrou na história. Além disso, para comparar times de épocas diferentes, temos de levar em conta outros grandes times do futebol brasileiro. Como comparar hoje com outros campeões? Tem o Santos dos anos 60, o Internacional, o Palmeiras, não apenas o Flamengo de 1981. Só penso que pode ser válida qualquer comparação depois de ganharem o título.

Sobre o Autor

Paulo Vinicius Coelho é jornalista esportivo, blogueiro do UOL, colunista da Folha de S. Paulo. Cobriu seis Copas do Mundo (1994, 1998, 2006, 2010, 2014 e 2018) e oito finais de Champions League, in loco. Nasceu em São Paulo, vive no Rio de Janeiro e seu objetivo é olhar para o mundo. Falar de futebol de todos os ângulos: tático, técnico, físico, econômico e político, em qualquer canto do planeta. Especializado em futebol do mundo.

Sobre o Blog

O blog tem por objetivo analisar o futebol brasileiro e internacional em todos os seus aspectos (técnico, tático, político e econômico), sempre na tentativa de oferecer uma visão moderna e notícias em primeira mão.

Blog do PVC