PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Quem é quem na Libertadores 2020

PVC

06/12/2019 03h49

Foto: AFP PHOTO / JUAN MABROMATA

O risco enorme: River Plate na fase preliminar.

A ameaça tem endereço: Corinthians ou Internacional.

Já pensou um duelo de gigantes assim na fase anterior aos grupos da Libertadores? No dia 13 de dezembro, haverá a final da Copa Argentina, entre Central Córdoba e River. Se o River não vencer, disputará a fase preliminar. Se ganhar, entra diretamente na fase das chaves.

Mas é um risco.

Também são nomes de perigo para os gigantes brasileiros na fase preliminar da Libertadores o Tolima e o Barcelona de Guayaquil.

Seis brasileiros já estão garantidos na fase dos grupos: Flamengo, Santos, Palmeiras, Athletico Paranaense, Grêmio e São Paulo.

Há também perigos na lista de rivais. O Racing, campeão argentino de 2018/19, é sempre um risco, mas nunca se confirma. O Boca Juniors é sempre candidato ao título, mesmo que não vença desde 2007. Virou uma espécie de Independiente, carisma pelos títulos do passado que ficam na memória, mas não entram em campo.

Olimpia e Guaraní do Paraguai estarão presentes. Mas os riscos e as chances estão listados aí abaixo, nas características dos próprios clubes brasileiros. Cada um terá seu desafio e sua preocupação:

FLAMENGO – Campeão depois de 38 anos, está livre da vergonha da queda na fase de grupos, que aconteceu em 2012, 2014 e 2017. O último vencedor de um ano eliminado na fase de grupos seguinte foi o Atlético Nacional, em 2017. Ao contrário, o Flamengo pode pensar em ser o bicampeão pela primeira vez desde o Boca Juniors de 2001. Sua receita é melhorar o time reserva. Ter um degrau menor entre os titulares e os suplentes. Vai conseguir isso e será ainda mais candidato ao bi.

SANTOS – Em toda a história do Santos na Libertadores, só caiu antes das quartas-de-final em 1984 e em 2018. O risco de queda mais cedo existe, porque não se sabe quem será o técnico nem quanto investimento haverá. O Santos já anunciou que terá menos dinheiro e mais ambição. O desejo do presidente José Carlos Peres contrasta com a realidade e foi o que desagradou a Jorge Sampaoli e Paulo Autuori. O Santos não parece, hoje, candidato ao título.

PALMEIRAS – Quem será o treinador? Se for Jorge Sampaoli e com uma gestão coerente, o Palmeiras será candidato a tuto. Não há dinheiro sobrando, como se diz. Não há concorrência com o Flamengo do ponto de vista financeiro, Haverá mais cuidado com a transição dos jogadores das divisões de base. Haverá realismo, mas sempre o sonho de chegar longe. O Palmeiras terá um time competitivo. É um dos candidatos ao título.

GRÊMIO – Renato Gaúcho será o técnico pela quarta vez consecutiva, na Libertadores. Conhece o torneio, foi campeão como jogador e treinador e haverá reformulação para haver jogadores competitivos e talentosos. Willian do Bigode, do Palmeiras, é uma das alternativas. Raphael Veiga, também do Palmeiras, é outra. O Grêmio é candidato ao título.

ATHLETICO PARANAENSE – A entrada de Eduardo Barros na vaga de Tiago Nunes e a continuidade do sucesso indica que a estrutura comandada por Mario Celso Petraglia e Paulo André dão a receita para ir longe. O Athletico não entra como candidato ao título. E daí? Não era candidato também quando chegou à final de 2005, nem quando ganhou o título de 2018, na Copa Sul-Americana. Vai depender da remontagem da equipe e do substituto de Bruno Guimarães, que talvez nem precise vir de fora.

SÃO PAULO – São Paulo é São Paulo. Sempre se impõe pela camisa, mesmo quando não está bem. A lembrança de 2016, quando foi avançando até a semifinal, é o exemplo disso. Mas é preciso entender a montagem da equipe. Antony vai ficar? Raí será o diretor de futebol? Será ano eleitoral e haverá dificuldade, pressão, gente torcendo contra dentro do próprio clube social, no Morumbi. Tudo pode ser superado por um trabalho sereno e consistente. O São Paulo é candidato a chegar às finais. Depois, quem duvida?

CORINTHIANS – Tiago Nunes já deu demonstração de que conhece competições sul-americanas e torneios de mata-mata. Parece e é um chavão, porque cada torneio é diferente do outro e porque Tiago Nunes ainda não foi apresentado ao Corinthians. É sempre diferente trabalhar em Curitiba de trabalhar no furacão da megalópole corintiana. O time vai ser competitivo, rápido, moderno. Se conseguir tudo isso, o Corinthians será candidato ao título.

INTERNACIONAL – Eduardo Coudet já fez trabalho brilhante no Rosario Central, conturbou a vida do Palmeiras no Allianz Parque e eliminou-o na fase de grupos. Chegou às oitavas-de-final e perdeu para o campeão, Atlético Nacional. O Internacional será forte, rápido, agressivo na marcação por pressão. Tudo isto se Eduardo Coudet der certo. O Internacional tem história em Libertadores e vai brigar pelo terceiro troféu.

 

Sobre o Autor

Paulo Vinicius Coelho é jornalista esportivo, blogueiro do UOL, colunista da Folha de S. Paulo. Cobriu seis Copas do Mundo (1994, 1998, 2006, 2010, 2014 e 2018) e oito finais de Champions League, in loco. Nasceu em São Paulo, vive no Rio de Janeiro e seu objetivo é olhar para o mundo. Falar de futebol de todos os ângulos: tático, técnico, físico, econômico e político, em qualquer canto do planeta. Especializado em futebol do mundo.

Sobre o Blog

O blog tem por objetivo analisar o futebol brasileiro e internacional em todos os seus aspectos (técnico, tático, político e econômico), sempre na tentativa de oferecer uma visão moderna e notícias em primeira mão.

Blog do PVC