Blog do PVC

Arquivo : flamengo

Público é a maior conquista do Brasileirão 2018
Comentários Comente

PVC

O Barcelona perdeu 10% de seu público ao final da temporada 2017/18. Registou 68.830 espectadores por partida. No início da temporada 2018/19, o índice está voltando ao patamar anterior. Tem de novo a melhor média do Campeonato Espanhol: 76 mil. Ter atenção à queda foi fundamental para devolver as arquibancadas cheias ao Camp Nou.

Não há nível de comparação com o Brasileiro, que terminou no sábado com 18.873 pagantes por jogo. Exceto pela observação atenta que o dado exige. É o maior número de torcedores presentes aos estádios desde a Copa União de 1987. Em 31 anos, nunca tanta gente passou pelas bilheterias.

Uma das razões é a boa campanha do Flamengo. Trem pagador, o Flamengo sempre puxou para cima a média do Brasileirão. Mas, em 2009, quando foi campeão pela última vez, a média foi de 17.800. Também foi a melhor depois da Copa União, mas com mil pagantes a menos no índice geral, comparado com 2018.

A subida pode ser explicada, em parte, pelos planos de sócios torcedores de Palmeiras, Corinthians e São Paulo, que privilegiam quem vai a todas as partidas com preços justos. Se o bilhete médio do Palmeiras é de R$ 56, quem vai ao setor norte do Allianz Parque pode pagar ZERO, se pagar pelo plano Ouro, de R$ 119 mensais. Em média, dividindo a despesa mensal pelos quatro jogos no estádio num período de trinta dias, o custo por partida é de R$ 29.

A última rodada teve recorde de presença do campeonato, no Maracanã para Flamengo 1 x 2 Atlético Paranaense. Também o maior público da história do Allianz Parque.

A imprensa trata pouco destes planos. Preferimos dizer que o preço do bilhete cheio é superior a R$ 100, o que dá a falsa impressão de elitização. O dado objetivo é: há mais gente nos estádios. Ainda é insuficiente. Só que aumentou a presença. Pela primeira vez desde 1983, quatro clubes tiveram mais de 30 mil pagantes por partida: Flamengo, São Paulo, Palmeiras e Corinthians.

É preciso estudar, encontrar outras explicações, criar outras alternativas para que mais torcedores queiram ir aos jogos. Acabar com mitos como os de que o torcedor não vai por causa do horário, da chuva, do vento ou da praia. Dos dez maiores públicos do São Paulo no ano, os nove primeiros foram os mais caros. Diferente do Flamengo, cujo recorde de espectadores aconteceu com o preço mais baixo. Cada um precisa conhecer e compartilhar sua própria experiência. Abrir mão de verdades pré-concebidas e entender cada caso.

Se na história do futebol no Brasil, o torneio com mais público foi o Brasileiro de 1983, com média de 22 mil espectadores, é porque jamais houve grande afluência. O Flamengo disputou no Maracanã 296 partidas de Brasileirão. Em 32, registrou menos de 5 mil torcedores.

O mistério é que se fala em elitização, em violência, em nível baixo e pior média de gols em 28 anos. Mesmo assim, mais gente se interessa por ir ao estádio. O potencial para aumentar existe. Mas é preciso planejar e definir metas. Assim como o Barcelona caiu e recuperou 10% de público, o Brasileiro pode planejar a subida ano a ano, degrau a degrau, até chegar a, digamos, 25 mil por partida. A Itália hoje tem 24 mil. A Espanha, 26 mil. É viável. Basta trabalhar nessa direção.


Flamengo pode alcançar pontuação de um terço dos campeões brasileiros
Comentários Comente

PVC

Se vencer o Atlético Paranaense na noite deste sábado, no Maracanã com 59 mil ingressos vendidos, o Flamengo chegará a 75 pontos, índice jamais alcançado por outro vice-campeão. A melhor pontuação rubro-negra da história é superior até à de 2009, quando ficou com a taça, mas com 67 unidades. Dos quinze campeões brasileiros por pontos corridos, antes do Palmeiras 2018, cinco conquistaram o troféu com 75 pontos ou menos.

O São Paulo ganhou o tricampeonato de 2008 com 75 pontos.

O Flamengo conquistou o Brasil em 2009 com 67.

O Fluminense, em 2010, somou 71.

O mesmo número do Corinthians, em 2011.

Com Fábio Carille, o sétimo troféu corintiano, em 2017, chegou com 72 pontos.

Os rubro-negros têm se relacionado com o recorde mais com vergonha do que com orgulho. O Flamengo só havia sido vice-campeão brasileiro na Taça Brasil de 1964, levando em conta a unificação estabelecida pela CBF. No Brasileirão após 1971, é o primeiro vice rubro-negro. Na história do Campeonato Carioca, o Flamengo é quem tem mais título (34) e também o maior número de vice-campeonatos (31).

Tags : flamengo


Informações e palpites da última rodada do Brasileirão
Comentários Comente

PVC

ATLÉTICO MINEIRO x BOTAFOGO
Sábado, Independência, 19h
ATLÉTICO MINEIRO – Problemas – Nenhum – Time provável (4-2-3-1) – Victor, Èmerson, Leonardo Silva, Maidana e Fábio Santos; Adílson e Elias; Luan, Cazares e Chará; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi
Últimos cinco jogos – dvvve
BOTAFOGO – Problemas – Léo Valencia (terceiro cartão), Carli (machucado), Marcelo (machucado), Aguirre (machucado), Jean (machucado), Gílson (machucado), Erik (liberado) – Time provável (4-2-3-1) – Gatito Fernandez, Marcinho, Marcelo Benevenuto, Igor Rabello e Moisés; Matheus Fernandes e Bochecha; Rodrigo Pimpão, Marcos Vinícius e Luiz Fernando; Kieza. Técnico: Zé Ricardo
Últimos cinco jogos – vevvv
CURIOSIDADE – Tirando as goleadas, o jogo com maior número de gols da história do Brasileiro foi Atlético 5 x 5 Botafogo, em 1998.
RETROSPECTO – No novo Independência, houve quatro jogos pelo Brasileiro, com duas vitórias do Atlético e dois empates.
PALPITE – Atlético
ARBITRAGEM – Bráulio da Silva Machado (SC); Kléber Lúcio Gil (SC), Neuza Inês Back (SC)

FLAMENGO x ATLÉTICO PARANAENSE

Sábado, Maracanã, 19h
FLAMENGO – Problemas – Réver (machucado), Cuellar (terceiro cartão), Vitinho (machucado, dúvida), Marlos Moreno (machucado, dúvida) – Time provável (4-2-3-1) – César, Pará, Léo Duarte, Rhodolfo e Renê; Piris da Mota e William Arão; Éverton Ribeiro, Diego e Berrio; Uribe. Técnico: Dorival Júnior
Últimos cinco jogos – vvvve
ATLÉTICO PARANAENSE – Problemas – Bergson (terceiro cartão), Guilherme (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Tiago Alves, Diego, Wânderson, Ivaldo e Márcio Azevedo; Wellington e Camacho; Marcinho, Rossetto e Rony; Pablo. Técnico: Tiago Nunes
Últimos cinco jogos – vvev
CURIOSIDADE – Nesta semana, completaram-se cinco anos da final Flamengo x Atlético Paranaense, da decisão da Copa do Brasil de 2013.
RETROSPECTO – O Flamengo venceu o último encontro no Maracanã, em 2015: 3 x 2.
PALPITE – Flamengo
ARBITRAGEM – Flávio Rodrigues de Souza (SP); Alex Ang Ribeiro (SP), Tatiane Sacilotti (SP)

PARANÁ x INTERNACIONAL
Domingo, Vila Capanema, 17h
PARANÁ – Problemas – Leandro Vilela (terceiro cartão), Alex Santana (pertence ao Internacional) – Richard, Wesley Dias, Jesiel, Charles e Igor; Jhony e Jhonny Lucas; Kessley, Alesson e Juninho; Andrey. Técnico: Dado Cavalcanti
Últimos cinco jogos – vdedv
INTERNACIONAL – Problemas – Leandro Damião (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Marcelo Lomba, Fabiano, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado; Nico López, Edenílson, D’Alessandro e Patrick; Jonathan Álvez. Técnico: Odair Hellmann
Últimos cinco jogos – vddve
CURIOSIDADE – Clube que deu origem ao Paraná, o Colorado fez seu primeiro jogo de Campeonato Brasileiro em 1978 e foi contra o Internacional. Perdeu por 2 x 0 em Curitiba, gols de Falcão e Jair.
RETROSPECTO – O Paraná venceu o último encontro na Vila Capanema, por 1 x 0, em 2007.
PALPITE – Internacional
ARBITRAGEM –Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ); Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ), Michael Correia (RJ)

CHAPECOENSE x SÃO PAULO
Domingo, Arena Condá, 17h
CHAPECOENSE – Problemas – Yann Rolim (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Jandrei, Eduardo, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Amaral e Márcio Araújo; Canteros, Diego Torres e Wellington Paulista; Leandro Pereira. Técnico: Claudinei Oliveira
Últimos cinco jogos – evddv
SÃO PAULO – Problemas – Bruno Peres (machucado), Reinaldo (terceiro cartão), João Rojas (machucado), Luan (machucado), Carneiro (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Jean, Araruna, Arboleda, Bruno Alves e Edimar; Liziero e Hudson; Helinho, Nenê e Éverton; Diego Souza. Técnico: André Jardine
Últimos cinco jogos – edvee
CURIOSIDADE – No último confronto na Arena Condá, um dos gols da Chapecoense no empate por 2 x 2 foi marcado pelo lateral Reinaldo, hoje no São Paulo.
RETROSPECTO – O São Paulo só venceu na Arena Condá em 2015. No total, são quatro jogos, com duas vitórias da Chapecoense, um empate e um triunfo são-paulino.
PALPITE – Empate
ARBITRAGEM – Wilton Pereira Sampaio (GO); Fabrício Vilarinho da Silva (GO), Bruno Raphael Pires (GO)

BAHIA x CRUZEIRO
Domingo, Fonte Nova, 17h
BAHIA – Problemas – Douglas (suspenso pelo STJD), Nino Paraíba (machucado), Élber (machucado), Gregore (terceiro cartão), Tiago (terceiro cartão), Marco Antônio (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Ânderson, Bruno, Jackson, Lucas Fonseca e Léo; Élton e Flávio; Ramires, Zé Rafael e Clayton; Edigar Junio. Técnico: Enderson Moreira
Últimos cinco jogos – dvdev
CRUZEIRO – Problemas – Murilo (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Rafael, Ezequiel, Manoel, Cacá e Patrick Brey; Éderson e Lucas Silva; Lucas Romero, Raniel e David; Sassá. Técnico: Sídnei Lobo (Mano Menezes faz tratamento médico)
Últimos cinco jogos – dvdvd
CURIOSIDADE – Na última vitória do Cruzeiro, na Fonte Nova, o volante Nílton, hoje no Bahia, marcou um dos gols cruzeirenses que venceu por 2 x 1.
RETROSPECTO – No ano passado, o Bahia ganhou na Fonte Nova por 1 x 0.
PALPITE Flá– Bahia
ARBITRAGEM – Bruno Arleu de Araújo (SP); Luiz Cláudio Regazone (SP), Thiago Farinha (SP)

FLUMINENSE x AMÉRICA MINEIRO
Domingo, Maracanã, 17h
FLUMINENSE – Problemas – Léo (expulso), Pedro (machucado), Gilberto (machucado), Ibañez (machucado), – Time provável (4-2-3-1) – Júlio César, Igor Julião, Gum, Digão e Ayrton Lucas; Jádson e Richard; Fernando Neto, Sornoza e Everaldo; Luciano. Técnico: Fábio Moreno (interino)
Últimos cinco jogos – ddded
AMÉRICA MINEIRO – Problemas – David (machucado), Jori (machucado), Ruy (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – João Ricardo, Norberto, Messias, Matheus Ferraz e Carlinhos; Zé Ricardo e Juninho; Luan, Matheusinho e Marquinhos; Rafael Moura. Técnico: Givanildo Oliveira
Últimos cinco jogos – vdvdd
CURIOSIDADE – Só houve um encontro no Maracanã. Em 1971, houve empate por 0 x 0.
RETROSPECTO – O Fluminense venceu os dois últimos jogos pelo Brasileiro, ambos por 1 x 0 em 2016, um no Independência e outro em Cariacica, no Espírito Santo.
PALPITE – Empate
ARBITRAGEM – Rafael Traci (PR); Ivan Carlos Bohn (PR), Rafael Trombetta (PR)

CEARÁ x VASCO
Domingo, Castelão, 17h
CEARÁ – Problemas – Juninho Quixadá (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Éverson, Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e Felipe Jonathan; Edinho e Richardson; Calyson, Ricardinho e Leandro Carvalho; Arthur. Técnico: Lisca
Últimos cinco jogos – evede
VASCO – Problemas – Breno (machucado), Ramon (machucado), Rildo (machucado), Henrique (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Fernando Miguel, Luiz Gustavo, Werley, Leandro Castan e William Maranhão; Desábato; Yago Pikachu, Andrey, Thiago Galhardo e Kelvin; Maxi López. Técnico: Alberto Valentim
Últimos cinco jogos – dvded
CURIOSIDADE – No primeiro confronto entre os dois clubes, o técnico do Ceará era Marinho Rodrigues, pai de Paulo Cezar Caju, mais tarde vice-campeão carioca pelo Vasco, em 1980.
RETROSPECTO – Em Fortaleza, houve seis jogos entre Ceará x Vasco, com três vitórias vascaínas e três empates.
PALPITE – Vasco
ARBITRAGEM – Raphael Claus (SP); Danilo Ricardo Simon Manis (SP), Rogério Pablos Zanardo (SP)

SPORT x SANTOS
Domingo, Ilha do Retiro, 17h
SPORT – Problemas – Cláudio Winck (expulso), Jair (terceiro cartão) – Time provável (4-2-3-1) – Maílson, Andrigo, Adryelson, Ernando e Raul Prata; Marcão Silva e Felipe Bastos; Michel Bastos, Gabriel e Mateus Gonçalves; Matheus Peixoto. Técnico: Mílton Mendes
Últimos cinco jogos – eddee
SANTOS – Problemas – Lucas Veríssimo (machucado), Derlis González (machucado), Anderson Ceará (machucado), Bruno Henrique (machucado), Bryan Ruiz (virose), Carlos Sánchez (terceiro cartão), Gabriel (terceiro cartão), Dodô (terceiro cartão), Alisson (terceiro cartão) Time provável (4-1-4-1) – Vladimir, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Copete; Guilherme Nunes; Rodrygo, Diego Pituca, Jean Mota e Arthur Gomes; Felippe Cardoso. Técnico: Cuca
Últimos cinco jogos – veddd
CURIOSIDADE – O primeiro encontro entre Sport e Santos pelo Brasileirão teve dois grandes zagueiros da história como técnicos. Pinheiro, no banco rubro-negro, Mauro Ramos de Oliveira, no santista.
RETROSPECTO – Houve dois empates e duas vitórias do Sport, desde a última vitória santista na Ilha do Retiro, em 2009.
PALPITE – Sport
ARBITRAGEM – Ânderson Daronco (RS); Rafael da Silva Alves (RS), Cleriston Cley Barreto
Rios (RS)

PALMEIRAS x VITÓRIA

Domingo, Allianz Parque, 17h
PALMEIRAS – Problemas – Willian (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Wéverton, Mayke, Luan, Gustavo Gomez e Diogo Barbosa; Felipe Melo e Bruno Henrique; Dudu, Moisés e Lucas Lima; Deyverson. Técnico: Luiz Felipe
Últimos cinco jogos – vveve
VITÓRIA – Problemas – Jéferson (terceiro cartão), Rodrigo Andrade (machucado), Benítez (machucado), Arouca (pertence ao Palmeiras), Lucas (pertence ao Palmeiras) – Time provável (4-2-3-1) – João Gabriel, Yago, Bruno Bispo, Lucas Ribeiro e Fabiano; William Farias; Luan, Rhayner, Léo Gomes e Lucas Fernandes; Léo Ceará. Técnico: João Burse
Últimos cinco jogos – evdee
CURIOSIDADE – Em 1993, a campanha do Palmeiras terminou com 31 mil pessoas de média de público e triunfo sobre o Vitória na finalíssima, diante de 88 mil pagantes, no Morumbi. A expectativa é que o Palmeiras receba 35 mil torcedores no domingo e alcance 32 mil de média neste ano.
RETROSPECTO – Na história, em São Paulo, são onze vitórias do Palmeiras e cinco empates. Vitória nunca venceu.
PALPITE – Palmeiras
ARBITRAGEM – Héber Roberto Lopes (SC); Henrique Neu Ribeiro (SC), Éder Alexandre (SC)

GRÊMIO x CORINTHIANS
Domingo, Arena do Grêmio, 17h
GRÊMIO – Problemas – Geromel (terceiro cartão), Luan (machucado), Marcelo Grohe (machucado), Paulo Miranda (machucado), Jean Pyerre (machucado, dúvida), Cortez (machucado, dúvida) – Time provável (4-2-3-1) – Paulo Victor, Leonardo Moura, Derlan, Kannemann e Michel; Matheus Henrique e Maicon; Ramiro, Cícero e Éverton; Jael. Técnico: Renato Gaúcho
Últimos cinco jogos – evvev
CORINTHIANS – Problemas – Cássio (machucado), Fágner (machucado, dúvida) – Time provável (4-2-3-1) – Wálter, Léo Santos, Pedro Henrique, Henrique e Carlos Augusto; Ralf e Thiaguinho; Pedrinho, Jádson e Romero; Danilo. Técnico: Jair Ventura
Últimos cinco jogos – evdev
CURIOSIDADE – Na última rodada de 2016, o Botafogo, dirigido por Jair Ventura, venceu o Grêmio por 1 x 0, em Porto Alegre, classificou-se e eliminou o Corinthians da Libertadores.
RETROSPECTO – Na Arena do Grêmio, são quatro vitórias gremistas e um empate, em cinco encontros na história.
PALPITE – Grêmio
ARBITRAGEM – Ricardo Marques Ribeiro (MG); Guilherme Dias Camilo (MG), Sidmar dos Santos Meurer (MG)


Há razões para Renato ficar no Grêmio
Comentários Comente

PVC

O almoço entre Romildo Bolzan e Renato Gaúcho já começou, nesta quinta-feira, com a certeza de que o treinador permaneceria. Como este blog antecipou por volta de 13h.

Enquanto se dizia que haveria um jantar para definir a saída do técnico, o Grêmio negociava as bases da permanência bem antes de o sol se por. Não haverá exagero no salário. Não haverá remuneração superior a R$ 1 milhão. Cifras assim só serão alcançadas se houver premiação, ou seja, só se o Grêmio conquistar títulos e mais títulos.

Por que, então, ficar no Grêmio, e não esperar o Flamengo?

Antes de tudo, porque os gremistas não exigem a conjugação do verbo esperar. Em Porto Alegre, Renato não aguarda por um novo presidente. Tem segurança e carinho do dirigente atual, Romildo Bolzan.

A informação repetida de que Ricardo Lomba e Rodolfo Landim haviam acertado as bases para fazer uma única proposta por Renato não se confirmou. Rodolfo Landim disse que não conversou com Ricardo Lomba a respeito de uma proposta a Renato.

Então, o treinador teria de esperar pelo menos até o dia 8 de dezembro para ter convicção de quem será o presidente do Flamengo. Ao mesmo tempo, o Grêmio sinalizava cada vez mais o desejo de sua permanência. Não com mais reais, mas com mais projeto de trabalho. Mais condição de montar uma equipe capaz de conquistar outra Libertadores ou de encerrar a seca de títulos brasileiros, de 22 anos.

O Grêmio é a mãe de Renato. Crescido em Bento Gonçalves, chegou adolescente ao estádio Olímpico. Amadureceu na campanha do vice-campeonato brasileiro de 1982, na Libertadores de 1983. Explodiu com o título mundial de 1983, dois gols seus contra o Hamburgo.

O Flamengo é, digamos, a mulher de sua vida, desde que chegou em 1987, ano da conquista da Copa União. Quando pulou a cerca e fez o gol de barriga pelo Fluminense, na final do Carioca de 1995, magoou seu caso de amor. A torcida rubro-negra costuma vaiá-lo. O Flamengo é, portanto, a mulher da vida de Renato que um dia ele precisará reconquistar.

Parecia ser agora. Pode ser depois.

Renato segue afirmando que dirigir o Flamengo é um sonho. Treinar o Grêmio é sua realidade.

Na maturidade de sua carreira de técnico, Renato optou pela garantia poder brigar por muitos troféus em 2019.


Rodízio explica título do Palmeiras e queda do Flamengo
Comentários Comente

PVC

Palmeiras e Flamengo voltaram da Copa do Mundo em posições inversamente proporcionais. O Flamengo era líder, nove pontos acima do Palmeiras, quando houve a paralisação para a Copa. Duas semanas depois, Felipão foi contratado. O Palmeiras estava em sétimo, oito pontos atrás. Mas, na seqüência ao Munbdial, houve um período de 59 dias com 18 partidas, tanto para rubro-negros, quanto palmeirenses.

Nesse espaço, o Palmeiras subiu para a liderança e o Flamengo desceu para a quarta colocação. Foram nove jogos mensais, por dois meses, em que Felipão escalou 24 jogadores diferentes como titulares e Maurício Barbieri, 25. Só que Barbieri usou nove jogadores mais de dez vezes, como titulares. Felipão só fez isso com cinco. Éverton Ribeiro foi titular 15 vezes nesse período. Dudu, 12.

O raciocínio não é explicação definitiva para dizer que o rodízio palmeirense e o cansaço pela repetição de jogos e viagens foi o diferencial deste ano para quem vivia na Academia ou no Ninho do Urubu. É apenas a segunda temporada com todas as competições sobrepostas. Todos estamos aprendendo sobre o sistema de disputa.

No ano passado, o ensinamento foi de que o Corinthians venceu porque não estava na Libertadores e foi eliminado precocemente da Copa do Brasil, antes do início do Brasileirão. Quando saiu da Sul-Americana, passou a ter só uma competição, e inverteu a tendência: colecionou todas as oito derrotas da campanha.

Neste ano, quando teve apenas uma competição, o São Paulo assumiu a liderança e depois a desperdiçou. Caiu para o quinto lugar. Enquanto isso, o Palmeiras, em três frentes, chegou às semifinais da Libertadores e da Copa do Brasil e conquistou o Brasileirão. Com os torneios sobrepostos, o Palmeiras disputou 26 partidas a mais do que o Boca Juniors, até ser eliminado na semifinal do torneio continental. São observações que podem ser usadas para entender se foram decisivas. O calendário castiga mais os brasileiros do que os argentinos. Isto é decisivo? Rodar mais o elenco como o campeão fez neste ano, ajuda a ganhara taça?

É justo que se discuta se houve ou não houve relevância.

O fato é que Felipão fez rodízio e o Palmeiras caminhou para o troféu. O Flamengo disputou 18 partidas com a mesma base, sempre com intervalos de três dias. Cansou. Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte, Renê, Paquetá, Éverton Ribeiro e Cuellar jogaram mais vezes, naquele período de 59 dias, do que Dudu, Willian, Moisés, Lucas Lima, Borja, Deyverson, Mayke e Marcos Rocha. O Palmeiras esteve sempre mais descansado.

No final da campanha, o Flamengo passou a ter semanas inteiras de treino. Coincidiu com a troca de Maurício Barbieri por Dorival Júnior. O próprio Dorival Júnior declarou que o maior tempo para treinar ajudou a fazer a equipe crescer. O palmeirense Moisés também diz que a maior contribuição de Felipão para o elenco foi a capacidade de valorizar todos e promover o rodízio.


Dudu é o craque o Brasileirão
Comentários Comente

PVC

Dudu fez os dois gols do título da Copa do Brasil, em 2015.

Foi o melhor jogador do segundo turno do Brasileirão 2016.

E disparadamente é o craque do Campeonato Brasileiro de 2018.

Se há um símbolo do fortalecimento do Palmeiras nos últimos três anos, é Dudu.

A atuação contra o América foi brilhante.

Deu 23 passes certos, errou cinco, foi quem mais finalizou, fez seu sétimo gol na campanha, 12a assistência.

É o recordista de passes para gols do campeonato e quem mais participa de gols desde a chegada de Felipão. Deu dez passes sob o comando do técnico e marcou sete vezes. Dos 45 gols da era Scolari, Dudu participou de 37%.

Dudu ajudou a aliviar a tensão do primeiro tempo do Allianz Parque. Daqueles dias em que, quem tivesse uma faca, cortaria um cubo de ar. Oxigênio em estado sólido, tamanha a angústia da torcida, à espera do gol que não vinha. E que, quando veio, foi anulado primeiro no pé de Deyverson.

O Brasileirão não acabou, mas foi por culpa de Uribe e Diego. Especialmente o camisa 10, o melhor em campo no Maracanã. Foi quem mais finalizou (4), quem mais acertou passes (44), autor do gol do 2 x 0, que adiou a definição do campeão para domingo — ou talvez para dia 2.

O Flamengo precisa de seis pontos nos dois últimos jogos e que o Palmeiras tenha no máximo um empate. Dificilmente ganhará um título neste ano de 2018. Mas terminará com a cabeça erguida, porque nos últimos 26 anos, só em 2009 chegou à penúltima rodada com chance de levantar o troféu.


Virada do Flamengo é muito menos provável do que em 2009
Comentários Comente

PVC

O tropeço do Palmeiras contra o Paraná Clube, em Londrina, e a vitória do Flamengo contra o Sport, no Recife, podem produzir a memória da virada rubro-negra de 2009. A maior reviravolta da história dos pontos corridos fez o time carioca arrancar da décima colocação, doze pontos atrás do líder, para o título, no intervalo de quinze rodadas. Até o 23o jogo, o Fla não ultrapassava o meio da tabela e, na trigésima jornada, viajou ao Parque Antarctica ainda com nove pontos a menos do que o Palmeiras. O triunfo por 2 x 0, gols de Petkovic, diminuiu a distância para seis pontos, faltando oito jogos. O Palmeiras terminou em quinto lugar, fora até mesmo da Libertadores. O Flamengo foi campeão.

É completamente diferente o cenário, hoje, levando em conta a classificação a três partidas do fim da temporada.

Daquela vez, na 35a rodada, o Flamengo já havia ultrapassado o Palmeiras e perseguia o novo líder, o São Paulo. A classificação mostrava o Tricolor com 62 pontos, dois a mais do que o rubro-negro e três a mais do que o alviverde. O Fla assumiria a liderança ao vencer o Corinthians, na penúltima jornada.

A classificação atual se assemelha mais à de 2016. No ano em que Gabriel Jesus e Dudu conduziram o Palmeiras ao troféu, o time dirigido por Cuca tinha 71 pontos, contra 66 do Flamengo, a esta altura da campanha. A pontuação era exatamente igual à atual, só com o Santos entre os dois candidatos ao título. Dirigidos por Dorival Júnior, os santistas somavam 67 unidades.

Aquele Palmeiras foi campeão na 37a partida, vencendo a Chapecoense por 1 x 0, no Allianz Parque.

Campeão, no entanto, o Palmeiras só será quando alcançar pontuação impossível para seus rivais. Hoje, isso significa chegar aos 76 pontos. Pode ser menos. Nunca o vice-campeão somou 73, o que o Palmeiras pode conseguir se vencer o América Mineiro, quarta-feira.

Histórias incríveis no futebol brasileiro indicam que não faz bem festejar antes da hora. A mais inacreditável foi a volta olímpica conduzida pelo zagueiro Onça, do Flamengo, depois de empatar contra o Botafogo pela Taça Guanabara de 1968. O torneio era independente do Campeonato Carioca. O empate por 0 x 0 deixava os rubro-negros a um empate do troféu e enfrentaria o modesto Bonsucesso. Pois o clube rubro-anil venceu por 2 x 0, gols de Gonçalves e Morais.

O Botafogo já excursionava pelo Brasil e foi chamado às pressas para um jogo extra, no domingo seguinte. Ganhou por 4 x 1. A volta olímpica de Onça virou mico.

Nas três rodadas que restam, o Flamengo disputará três finais. Isso obrigará o Palmeiras a também ter a faca entre os dentres.


Informações e palpites da 35a rodada do Brasileirão
Comentários Comente

PVC

VITÓRIA x ATLÉTICO PARANAENSE
Sábado, Barradão, 19h
VITÓRIA – Problemas – Benítez (terceiro cartão) – Time provável (4-1-4-1) – João Gabriel, Jéferson, Aderllan, Lucas Ribeiro e Fabiano; William Farias; Arouca, Léo Gomes, Lucas Fernandes e Erick; André Lima. Técnico: João Burse
Últimos cinco jogos – eeede
ATLÉTICO PARANAENSE – Problemas – Paulo André (machucado), Guilherme (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Santos, Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington e Bruno Guimarães; Marcelo Cirino, Raphael Veiga e Nikão; Pablo. Técnico: Tiago Nunes
Últimos cinco jogos – evvvd
CURIOSIDADE – João Burse, do Vitória, e Tiago Nunes, do Atlético Paranaense, são ambos provenientes dos times sub-23.
RETROSPECTO – Ano passado, o Atlético Paranaense venceu por 3 x 2 e quebrou um tabu de 23 anos sem vitórias em Salvador.
PALPITE – Atlético Paranaense
ARBITRAGEM – Flávio Rodrigues de Souza (SP); Alex Ang Ribeiro (SP0, Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)

CORINTHIANS x VASCO
Sábado, Itaquera, 19h
CORINTHIANS – Problemas – Carlos Augusto (seleção sub-20), Romero (seleção paraguaia), Douglas (terceiro cartão) – Time provável (4-1-4-1) – Cássio, Fágner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf; Pedrinho, Araos, Jádson e Clayson; Danilo. Técnico: Jair Ventura
Últimos cinco jogos – dedvd
VASCO – Problemas – William Maranhão (terceiro cartão), Maxi López (machucado, dúvida), Ramon (machucado), Rildo (machucado), Martin Silva (seleção uruguaia), Werley (machucado), Ricardo Graça (machucado), Lenon (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Fernando Miguel, Luiz Gustavo, Henriquez, Leandro Castan e Henrique; Andrey; Yago Pikachu, Raul, Thiago Galhardo e Kelvin; Andrés Rios. Técnico: Alberto Valentim
Últimos cinco jogos – edved
CURIOSIDADE – A última vitória do Vasco sobre o Corinthians em São Paulo foi em 2007, por 1 x 0, gol de Alan Kardec, resultado que obrigava os corintianos a vencer o Grêmio em Porto Alegre para escapar do rebaixamento. Não escapou.
RETROSPECTO – O Vasco não vence o Corinthians há doze partidas de Brasileirão, com sete derrotas e cinco empates, em qualquer estádio.
PALPITE – Corinthians
ARBITRAGEM – Wilton Pereira Sampaio (GO); Fabrício Vilarinho da Silva (GO), Bruno Raphael Pires (GO)

ATLÉTICO MINEIRO x BAHIA
Sábado, Independência, 21h
ATLÉTICO MINEIRO – Problemas – Émerson (terceiro cartão) – Time provável (4-2-3-1) – Victor, Patric, Leonardo Silva, Maidana e Fábio Santos; Galdezani e Elias; Luan, Cazares e Chará; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi
Últimos cinco jogos – veddd
BAHIA – Problemas – Élton (terceiro cartão), Lucas Fonseca (terceiro cartão), Nino Paraíba (machucado), Marco Antônio (machucado), Gilberto (machucado, dúvida), Clayton (emprestado pelo Atlético) – Time provável (4-2-3-1) – Douglas, Bruno, Douglas Grolli, Jackson e Léo; Gregore e Nílton; Ramires, Zé Rafael e Élber; Júnior Brumado. Técnico: Enderson Moreira
Últimos cinco jogos – vevdd
CURIOSIDADE – A maior goleada da história deste jogo aconteceu em 1984, no Mineirão. Vitória do Atlético por 6 x 0, com show do meia Éverton, revelado pelo Londrina e com passagens por São Paulo e Corinthians.
RETROSPECTO – Nas últimas duas últimas visitas ao Independência, o Bahia venceu em 2017 e empatou em 2014.
PALPITE – Atlético Mineiro
ARBITRAGEM – Marcelo Aparecido de Souza (SP); Ânderson José de Moraes Coelho (SP), Bruno Salgado Rizo (SP)

BOTAFOGO x INTERNACIONAL
Domingo, Nílton Santos, 17h
BOTAFOGO – Problemas – Kieza (machucado), Jean (machucado), Gílson (machucado), Rodrigo Aguirre (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Gatito Fernández, Marcinho, Carli, Igor Rabello e Moisés; Lindoso e Matheus Fernandes; Erik, Léo Valencia e Luiz Fernando; Brenner. Técnico: Zé Ricardo
Últimos cinco jogos – vvvdd
INTERNACIONAL – Problemas – Fabiano (terceiro cartão), Gabriel Dias (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Marcelo Lomba, Zeca, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado; Nico López, Edenílson, D’Alessandro e Patrick; Leandro Damião. Técnico: Odair Hellmann
Últimos cinco jogos – evee
CURIOSIDADE – O último jogo no Rio de Janeiro teve vitória do Botafogo por 1 x 0, gol de Sassá, no estádio da Portuguesa, na Ilha do Governador.
RETROSPECTO – No Engenhão, houve cinco jogos, com três vitórias do Internacional, um empate e uma vitória do Botafogo.
PALPITE – Internacional
ARBITRAGEM – Rafael Traci (PR), Ivan Carlos Bohn (PR), Rafael Trombeta (PR)

SPORT x FLAMENGO
Domingo, Ilha do Retiro, 17h
SPORT – Problemas – Marlone (machucado), Magrão (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Maílson, Cláudio Winck, Ernando, Adryelson e Sander; Marcão Silva e Jair; Michel Bastos, Gabriel e Mateus Gonçalves; Hernane. Técnico: Mílton Mendes
Últimos cinco jogos – eevvv
FLAMENGO – Problemas – Diego (terceiro cartão), Pará (terceiro cartão), Rodinei (terceiro cartão), Uribe (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – César, Klebinho, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuellar e William Arão; Éverton Ribeiro, Lucas Paquetá e Vitinho; Henrique Dourado. Técnico: Dorival Júnior
Últimos cinco jogos – vdeev
CURIOSIDADE – Em 1987, tanto o Flamengo campeão da Copa União, quanto o Sport, campeão brasileiro oficial pela CBF, tinham como camisa dez um mesmo nome: Zico.
RETROSPECTO – A última vitória do Flamengo na Ilha do Retiro aconteceu em 2008, por 2 x 1, com dois gols de Obina. São três vitórias do Sport e um empate de lá para cá.
PALPITE – Empate
ARBITRAGEM – Raphael Claus (SP), Danilo Ricardo Simon Manis (SP), Rogério Pablos Zanardo (SP)

PARANÁ x PALMEIRAS
Domingo, Estádio do Café (Londrina), 17h
PARANÁ – Problemas – Richard (terceiro cartão), Silvinho (terceiro cartão), Andrey (terceiro cartão), Alex Santana (terceiro cartão), Rodrigo Carioca (machucado), Mansur (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Thiago Rodrigues, Wesley Dias, Charles, Igor e Juninho; Leandro Vilela e Torito González; Alesson, Keslley e Felipe Augusto; Grampola. Técnico: Dado Cavalcanti
Últimos cinco jogos – dvedd
PALMEIRAS – Problemas – Luan (terceiro cartão), Moisés (machucado), Hyoran (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Wéverton, Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís; Felipe Melo e Bruno Henrique; Willian, Lucas Lima e Dudu; Deyverson. Técnico: Luiz Felipe
Últimos cinco jogos – evee
CURIOSIDADE – Na história do Brasileirão, o Paraná jogou uma vez no estádio do Café, um empate por 1 x 1 contra o Figueirense, mando paranista. O Palmeiras jogou duas vezes. Ganhou do Fluminense por 5 x 1 em 1996 e do América Mineiro por 2 x 0 em 2016. Nas duas sem o mando de campo.
RETROSPECTO – O Palmeiras perdeu os últimos dois jogos com mando do Paraná, em 2006por 4 x 2 e em 2007 por 1 x 0.
PALPITE – Palmeiras
ARBITRAGEM – Bruno Arleu de Araújo (RJ); Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ), Luiz Cláudio Regazone (RJ)

AMÉRICA MINEIRO x SANTOS
Domingo, Independência, 17h
AMÉRICA MINEIRO – Problemas – Nenhum – Time provável (4-2-3-1) – João Ricardo, Norberto, Messias, Matheus Ferraz e Carlinhos; Leandro Donizete e Zé Ricardo; Ademir, Gérson Magrão e Luan; Rafael Moura. Técnico: Givanildo Oliveira
Últimos cinco jogos – dddde
SANTOS – Problemas – Dodô (machucado), Luiz Felipe (machucado), Lucas Veríssimo (machucado), Carlos Sánchez (seleção uruguaia), Bryan Ruiz (seleção costa-riquenha), Derlis González (seleção paraguaia), Yuri (terceiro cartão) – Time provável (4-2-3-1) – Vanderlei, Victor Ferraz, Kaíque Rocha, Gustavo Henrique e Jean Mota; Alisson e Diego Pituca; Rodrygo, Arthur Gomes e Bruno Henrique; Gabriel. Técnico: Cuca
Últimos cinco jogos – dddve
CURIOSIDADE – No primeiro turno, o América venceu o Santos na Vila Belmiro, por 1 x 0.
RETROSPECTO – Só houve um jogo no Independência na história do Independência, com vitória do América, em 2016, por 1 x 0.
PALPITE – Santos
ARBITRAGEM – Dewson Freitas (PA), Kléber Lúcio Gil (SC), Heronildo Freitas da Silva (PA)

GRÊMIO x CHAPECOENSE
Domingo, Arena do Grêmio, 19h
GRÊMIO – Problemas – Marcelo Grohe (machucado), Paulo Miranda (machucado), Kannemann seleção argentina), Luan (machucado, dúvida), Leonardo (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Paulo Victor, Mádson, Geromel, Michel e Cortez; Matheus Henrique e Maicon; Ramiro, Jean Pyerre e Éverton; Jael. Técnico: Renato Gaúcho
Últimos cinco jogos – dvvdd
CHAPECOENSE – Problemas – Amaral (terceiro cartão) – Time provável (4-2-3-1) – Jandrei, Eduardo, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Márcio Araújo e Elicarlos; Doffo, Canteros e Wellington Paulista; Leandro Pereira. Técnico: Claudinei Oliveira
Últimos cinco jogos – dvdve
CURIOSIDADE – O primeiro confronto da história aconteceu no velho estádio Índio Condá, em Chapecó, pelo Brasileiro de 1978. O Grêmio era dirigido por Telê Santana e venceu por 3 x 0.
RETROSPECTO – Na história, são duas vitórias do Grêmio e duas da Chape na Arena.
PALPITE – Grêmio
ARBITRAGEM – Leandro Bizzio Marinho (SP); Daniel Luís Marques (SP), Daniel Paulo Ziolli (SP)

SÃO PAULO x CRUZEIRO
Domingo, Morumbi, 19h
SÃO PAULO – Problemas – Diego Souza (machucado, dúvida), Ânderson Martins (machucado), Luan (machucado), João Rojas (machucado) – Time provável (4-4-2) – Jean, Bruno Peres, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Helinho, Hudson, Jucilei e Éverton; Nenê e Tréllez. Técnico: André Jardine
Últimos cinco jogos – eeeve
CRUZEIRO – Problemas – Murilo (machucado), Mancuello (machucado, dúvida), Dedé (seleção brasileira), De Arrascaeta (seleção uruguaia), Éderson (seleção brasileira sub-20) – Time provável (4-2-3-1) – Fábio, Edílson, Manoel, Léo e Egídio; Henrique e Ariel Cabral; Robinho, Thiago Neves e David; Fred. Técnico: Mano Menezes
Últimos cinco jogos – dvdd
CURIOSIDADE – Apesar da não ganhar pelo Brasileiro desde 2013, em São Paulo, o Cruzeiro ganhou do Tricolor em 2017 pela Copa do Brasil, no Morumbi.
RETROSPECTO – Pelo Brasileiro, o São Paulo venceu os últimos quatro jogos no Morumbi, desde 2013, quando o Cruzeiro ganhou.
PALPITE – São Paulo
ARBITRAGEM – Héber Roberto Lopes (SC); Henrique Neu Ribeiro (SC), Éder Alexandre (SC)

FLUMINENSE x CEARÁ
Segunda-feira, Maracanã, 20h
FLUMINENSE – Problemas – Gum (machucado), Léo (machucado), Gilberto (machucado), Ibañez (machucado), Pablo Dyego (machucado), Pedro (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Júlio César, Igor Julião, Paulo Ricardo, Digão e Ayrton Lucas; Aírton e Richard; Júnior Dutra, Sornoza e Cabezas; Luciano. Técnico: Marcelo Oliveira
Últimos cinco jogos – deddv
CEARÁ – Problemas – Tiago Alves (machucado, dúvida), Juninho Quixadá (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – : Éverson, Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e João Lucas; Edinho e Richardson; Leandro Carvalho, Ricardinho e Calyson; Arthur. Técnico: Lisca
Últimos cinco jogos – dedvv
CURIOSIDADE – O último encontro no Maracanã teve vitória do Fluminense por 3 x 1 em 2010 ano de título brasileiro tricolor.
RETROSPECTO – O Ceará venceu o Fluminense quatro vezes pelo Brasileirão. Todas em Fortaleza. Duas no Presidente Vargas, duas no Castelão.
PALPITE – Fluminense
ARBITRAGEM – Ânderson Daronco (RS); Rafael da Silva Alves (RS), Cleriston Clay Barreto Rios (RS)


Informações e palpites da 33a rodada do Brasileirão
Comentários Comente

PVC

CORINTHIANS x SÃO PAULO
Sábado, Itaquera, 17h
CORINTHIANS – Problemas – Renê Júnior (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Cássio, Fágner, Léo Santos, Henrique e Carlos Augusto; Ralf e Araos; Pedrinho, Jádson e Clayson; Danilo. Técnico: Jair Ventura
Últimos cinco jogos – dvdvv
SÃO PAULO – Problemas – Luan (machucado), Éverton Felipe (machucado), João Rojas (machucado) – Time provável (4-4-2) – Jean, Bruno Peres, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Hudson, Jucilei, Liziero e Éverton; Carneiro e Diego Souza. Técnico: Diego Aguirre
Últimos cinco jogos – evedd
CURIOSIDADE – A maior goleada da história do clássico foi o 6 x 1 de 2015, em Itaquera, empatado com o 6 x 1 do São Paulo da Floresta sobre o Corinthians em 1933.
RETROSPECTO – Em Itaquera, são oito clássicos, seis vitórias do Corinthians, dois empates, 19 gols do Corinthians, 7 do São Paulo.
PALPITE – Empate
ARBITRAGEM – Rodolpho Toski Marques (PR); Bruno Boschillia (PR), Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)

AMÉRICA MINEIRO x PARANÁ
Sábado, Independência, 17h
AMÉRICA MINEIRO – Problemas – Robinho (machucado), Marquinhos (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – João Ricardo, Norberto, Messias, Matheus Ferraz e Carlinhos; Juninho e Zé Ricardo; Aderlan, Ruy e Giovanni; Rafael Moura. Técnico: Adílson Batista
Últimos cinco jogos – ddeed
PARANÁ – Problemas – Igor (terceiro cartão), Rayan (machucado), Raphael Alemão (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Richard, Wesley, Jesiel, Renê e Mansur; Leandro Vilela e Jhonny Lucas; Juninho, Alex Santana e Andrey; Grampola. Técnico: Dado Cavalcanti
Últimos cinco jogos – edddd
CURIOSIDADE – O primeiro time de Série A dirigido por Adílson Batista foi o Paraná Clube, no Brasileirão de 2003. Naquela campanha, o Paraná goleou o Flamengo por 6 x 2.
RETROSPECTO – Na história, são três vitórias do América, um empate e uma única vitória do Paraná, no primeiro turno deste ano.
PALPITE – América
ARBITRAGEM – Wágner Reway (MT); Cleriston Clay Barreto Rios (SE), Eduardo Gonçalves da Cruz (MS)

BOTAFOGO x FLAMENGO
Domingo, Nílton Santos, 19h
BOTAFOGO – Problemas – Kieza (machucado), Jean (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Gatito Fernández, Marcinho, Carli, Igor Rabello e Gílson; Lindoso; Erik, Matheus Fernandes, Renatinho e Luiz Fernando; Brenner. Técnico: Zé Ricardo
Últimos cinco jogos – vddee
FLAMENGO – Problemas – Geuvânio (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – César, Pará, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuellar e William Arão; Éverton Ribeiro, Lucas Paquetá e Vitinho; Uribe. Técnico: Dorival Júnior
Últimos cinco jogos – eevvv
CURIOSIDADE – Paulo César Carpegiani foi demitido depois de uma derrota para o Botafogo que causou a eliminação do Campeonato Carioca.
RETROSPECTO – Neste ano, houve quatro jogos, com três vitórias do Flamengo e uma do Botafogo.
PALPITE – Flamengo
ARBITRAGEM – Bráulio da Silva Machado (SC); Kléber Lúcio Gil (SC), Neuza Inês Back (SC)

ATLÉTICO PARANAENSE x CRUZEIRO
Sábado, Arena da Baixada, 19h
ATLÉTICO PARANAENSE – Problemas – Paulo André (machucado, dúvida) – Time provável (4-2-3-1) – Santos, Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Bruno Guimarães e Lucho González; Marcelo Cirino, Raphael Veiga e Nikão; Pablo. Técnico: Tiago Nunes
Últimos cinco jogos – vddvv
CRUZEIRO – Problemas – Sassá (suspenso pelo STJD), Mancuello (terceiro cartão), Murilo (machucado), Rafinha (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Fábio, Edílson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Ariel Cabral; Robinho, Thiago Neves e De Arrascaeta; Barcos. Técnico: Mano Menezes
Últimos cinco jogos – vvdvv
CURIOSIDADE – Desde que Mano Menezes chegou ao Cruzeiro, os dois clubes se enfrentam pela quinta vez, com o quarto técnico diferente do Atlético. Tiago Nunes é o primeiro a repetir dois turnos seguidos.
RETROSPECTO – Ano passado, o Cruzeiro quebrou um tabu de sete anos sem vencer na Arena da Baixada e ganhou por 2 x 0.
PALPITE – Atlético Paranaense
ARBITRAGEM – Ânderson Daronco (RS); Rafael da Silva Alves (RS), Michael Stanislau (RS)

ATLÉTICO MINEIRO x PALMEIRAS
Domingo, Independência, 17h
ATLÉTICO MINEIRO – Problemas – Galdezani (terceiro cartão) – Time provável (4-2-3-1) – Victor, Émerson, Leonardo Silva, Maidana e Fábio Santos; Adílson e Elias; Luan, Teranz e Chará; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi
Últimos cinco jogos – ddded
PALMEIRAS – Problemas – Dudu (terceiro cartão), Willian (machucado), Mayke (suspenso pelo STJD), Diogo Barbosa (suspenso pelo STJD), Hyoran (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Wéverton, Jean, Antônio Carlos, Gustavo Gomez e Victor Luís; Felipe Melo e Bruno Henrique; Scarpa, Moisés e Arthur; Borja. Técnico: Luiz Felipe
Últimos cinco jogos – veedv
CURIOSIDADE – No primeiro turno, o Palmeiras quebrou um tabu de sete anos e onze jogos sem ganhar do Atlético em qualquer estádio.
RETROSPECTO – No novo Independência, o Atlético recebeu o Palmeiras cinco vezes. Ganhou três e empatou duas.
PALPITE – Empate
ARBITRAGEM – Wilton Pereira Sampaio (GO); Alessandro Rocha de Matos (BA), Bruno Raphael Pires (GO)

VITÓRIA x BAHIA
Domingo, Barradão, 17h
VITÓRIA – Problemas – Aderllan (terceiro cartão), Ruan Renato (terceiro cartão), Rhayner (expulso) – Time provável (4-2-3-1) – Ronaldo, Jéferson, Ramon, Lucas Ribeiro e Benítez; William Farias; Erik, Arouca, Léo Gomes e Lucas Fernandes; Léo Ceará. Técnico: João Burse
Últimos cinco jogos – edevd
BAHIA – Problemas – Gilberto (machucado), Marco Antônio (machucado), Douglas (suspenso pelo STJD, aguarda efeito suspensivo), Jackson (machucado, dúvida), Nílton (machucado, dúvida) – Time provável (4-2-3-1) – Ânderson, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Gregore e Flávio; Ramires, Zé Rafael e Élber; Edigar Junio. Técnico: Enderson Moreira
Últimos cinco jogos – vddvd
CURIOSIDADE – Demitido do Vitória, Paulo César Carpegiani salvou o Bahia do rebaixamento em 2017.
RETROSPECTO – Neste ano, houve três clássicos Ba-Vi com três triunfos do Bahia.
PALPITE – Vitória
ARBITRAGEM – Luiz Flávio de Oliveira (SP); Danilo Ricardo Manis (SP), Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)

CEARÁ x INTERNACIONAL
Domingo, Castelão, 17h
CEARÁ – Problemas – Juninho Quixadá (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Éverson, Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e Felipe Jonathan; Edinho e Richardson; Leandro Carvalho, Ricardinho e Calyson; Arthur. Técnico: Lisca
Últimos cinco jogos – dvvde
INTERNACIONAL – Problemas – Rodrigo Moledo (machucado) – Time provável (4-1-4-1) – Marcelo Lomba, Fabiano, Émerson Santos, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado; Nico López, Edenílson, D’Alessandro e Patrick; Leandro Damião. Técnico: Odair Hellmann
Últimos cinco jogos – veevd
CURIOSIDADE – Lisca terminou a campanha do Internacional rebaixado de 2016. Era o técnico no 1 x 1 contra o Fluminense, que decretou o descenso.
RETROSPECTO – Em onze jogos, o Internacional só venceu três vezes, no Beira Rio. Em Fortaleza, são três vitórias e cinco empates.
PALPITE – Empate
ARBITRAGEM – Dewson Freitas (PA); Fabrício Vilarinho da Silva (GO), Heronildo Freitas da Silva (PA)

GRÊMIO x VASCO
Domingo, Arena do Grêmio, 17h
GRÊMIO – Problemas – Luan (machucado), Kannemann (machucado), Ramiro (machucado, dúvida), Marcelo Grohe (machucado), Leonardo Gomes (machucado, dúvida) – Time provável (4-2-3-1) – Paulo Victor, Leonardo Moura, Geromel, Paulo Miranda e Cortez; Michel e Maicon; Alisson, Jean Pyerre e Éverton; Jael. Técnico: Renato Gaúcho
Últimos cinco jogos – vddve
VASCO – Problemas – Leandro Castan (terceiro cartão) – Time provável (4-4-2) – Martin Silva, Luiz Gustavo, Werley, Henriquez e Ramon; Yago Pikachu, Andrey, William Maranhão e Marrony; Thiago Galhardo e Maxi López. Técnico: Alberto Valentim
Últimos cinco jogos – vedve
CURIOSIDADE – Renato Gaúcho foi o técnico do primeiro rebaixamento do Vasco, em 2008.
RETROSPECTO – Na Arena do Grêmio, o Vasco jogou três vezes, perdeu as três, levou cinco gols e não marcou nenhum.
PALPITE – Grêmio
ARBITRAGEM – Raphael Claus (SP); Émerson Augusto de Carvalho (SP), Rogério Pablos Zanardo (SP)

FLUMINENSE x SPORT
Domingo, Maracanã, 19h
FLUMINENSE – Problemas – Ibañez (terceiro cartão), Sornoza (expulso), Gilberto (machucado), Gum (machucado, dúvida), Pedro (machucado) – Time provável (3-4-3) – Júlio César, Frazan, Paulo Ricardo e Digão; Léo, Jádson, Richard e Ayrton Lucas; Marcos Júnior, Luciano e Everaldo. Técnico: Marcelo Oliveira
Últimos cinco jogos – ddvde
SPORT – Problemas – Marlone (machucado), Sander (machucado) – Time provável (4-2-3-1) – Maílson, Cláudio Winck, Ernando, Adryelson e Raul Prata; Marcão Silva e Jair; Michel Bastos, Gabriel e Mateus Gonçalves; Hernane. Técnico: Mílton Mendes
Últimos cinco jogos – vvvdv
CURIOSIDADE – A maior goleada já sofrida pelo Fluminense na história do Brasileirão foi contra o Sport: 6 x 0, em 1996.
RETROSPECTO – O Fluminense não perde para o Sport no Rio de Janeiro desde 1997, pelo Brasileirão. São seis vitórias e dois empates.
PALPITE – Fluminense
ARBITRAGEM – Flávio Rodrigues de Souza (SP); Alex Ang Ribeiro (SP), Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)

SANTOS x CHAPECOENSE
Segunda-feira, Pacaembu, 20h
SANTOS – Problemas – Gabriel (terceiro cartão), Victor Ferraz (terceiro cartão), Diego Pituca (expulso), Luiz Felipe (machucado), Lucas Veríssimo (machucado, dúvida) – Time provável (4-1-4-1) – Vanderlei, Daniel Guedes, Yuri, Gustavo Henrique e Dodô; Alisson; Derlis González, Carlos Sánchez, Bryan Ruiz e Rodrygo; Sasha. Técnico: Cuca
Últimos cinco jogos – dvevv
CHAPECOENSE – Problemas – Márcio Araújo (machucado, dúvida), Elicarlos (machucado, dúvida) – Time provável (4-1-4-1) – Jandrei, Eduardo, Fabrício Bruno, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral; Osman, Canteros, Barreto e Wellington Paulista; Leandro Pereira. Técnico: Claudinei Oliveira
Últimos cinco jogos – dvddv
CURIOSIDADE – O Santos foi o primeiro time de Claudinei Oliveira como técnico profissional, no Brasileirão 2013. Assumiu em 14º lugar, depois da saída de Muricy Ramalho. Terminou em sétimo.
RETROSPECTO – Desde o acesso da Chapecoense, o Santos recebeu o time catarinense quatro vezes e venceu as quatro.
PALPITE – Santos
ARBITRAGEM – Rafael Traci (PR); Ivan Carlos Bohn (PR), Rafael Trombetta (PR)


Flamengo castiga mas Palmeiras abre vantagem
Comentários Comente

PVC

O São Paulo só foi melhor do que o Flamengo no início do segundo tempo, quando ousou.

Trocou Ânderson Martins por Helinho e foi premiado com um tiro lindo do atacante da seleção brasileira sub-17, que disputou o Mundial do ano passado.

Mas o Flamengo finalizou mais (19 vezes), acertou oito vezes no alvo, alcançou o Palmeiras como melhor ataque do campeonato, mas terminou com empate por 2 x 2.

São agora seis pontos de vantagem do Palmeiras para o Flamengo e dois de superioridade do São Paulo para o Grêmio, nas brigas pelo título e pela vaga direta na Libertadores, respectivamente.

O Flamengo jogou com a mesma formação dos últimos cinco jogos, sob o comando de Dorival Júnior. Atuou com força, determinação, merecia vencer.

O São Paulo montou um 3-5-2 torto no primeiro tempo, com Ânderson Martins saindo à caça de Éverton Ribeiro. Melhorou quando trocou o zagueiro, ex-Vasco, por Helinho. No primeiro chute, Helinho fez um golaço.

Mas faltou mais profundidade para incomodar o Flamengo.

O São Paulo tem como realidade brigar pela quarta colocação.

O Flamengo se distancia do que ainda é seu objetivo real: o título.